Dando asas à informação

Artista japonês coloca 100 fotos tiradas ao longo do tempo em uma linha, para produzir paisagens multidimensionais deslumbrantes

O artista visual japonês Nobuhiro Nakanishi não acredita que o tempo possa ser apreendido, mas, na sua última exposição, faz um trabalho espetacular de mostrar-nos como isso seria, se pudéssemos capturá-lo com as nossas mãos.

Seu projeto é chamado de Layer Drawings (em tradução livre, algo como “Desenhos em Camada”), embora a palavra “desenhos” seja usada apenas conceitualmente.

Nakanishi compõe a exibição colocando centenas de fotos, tomadas em vários intervalos de tempo, em painéis de acrílico quadrados, uma em seguida da outra. Quando vistas a partir de determinado ângulo, as imagens parecem desaparecer lentamente umas nas outras, até se tornarem apenas um borrão final.

“Capturar a acumulação de tempo como uma escultura permite ao espectador experimentar a efemeridade do tempo”, escreve Nakanishi em seu site oficial. “Estamos todos sujeitos à passagem do tempo, mas cada um de nós sente e percebe isso da nossa maneira (…). Nesta série, tento descrever o tempo e o espaço como sensações compartilhadas pelo espectador e pelo artista”.

O projeto foi exibido em dezembro do ano passado no Festival de Arte Islâmica em Sharjah, nos Emirados Árabes Unidos. Abaixo, confira algumas imagens que vão lhe dar uma ideia do que estamos falando: [BoredPanda]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *