Dando asas à informação

Vacas geneticamente modificadas dão leite parecido com o leite materno humano

No futuro, recém-nascidos poderiam beber o leite derivado de vacas geneticamente modificadas, que pode complementar o leite materno e substituir a fórmula infantil.

A fórmula infantil é uma alternativa (também com alto valor nutritivo) ao leite materno, geralmente dada a bebês cujas mães não podem amamentar, ou não o querem fazer por uma série de motivos.

Os pesquisadores criaram 300 vacas que produzem leite com algumas das propriedades do leite materno, incluindo a lisozima, que combate bactérias e melhora o sistema imunológico dos bebês nos primeiros dias de vida.

Esse foi considerado um avanço no campo de alimentos geneticamente modificados. Cientistas chineses introduziram genes que expressam a lisozima humana (HLZ) e outras proteínas humanas em embriões de bovinos da raça Holandesa. Em seguida, implantaram os embriões em vacas. Quando as vacas geneticamente modificadas começaram a lactar, seu leite continha HLZ e duas outras proteínas.

Os pesquisadores tomaram amostras de vacas normais e geneticamente modificadas por seis meses, e não encontraram diferenças significativas na quantidade de gordura, proteína, lactose e sólidos nos dois tipos de leite. As vacas modificadas se pareciam e agiam como as regulares.

Apesar dos benefícios que a HLZ proporciona, as mães nem sempre desejam amamentar, e às vezes situações impedem a lactação. Portanto, o desenvolvimento de fontes alternativas de HLZ é benéfico à saúde infantil.

Usando um processo de purificação novo, os pesquisadores foram capazes de tornar o gosto do leite mais humano, aumentando seu teor de gordura e alterando seu teor de solidez.

O leite materno contém todos os nutrientes que uma criança necessita, mas o leite de vaca não é tão facilmente digerido ou absorvido. Torná-lo mais humano poderia dar um impulso nutricional aos laticínios.

Os pesquisadores acreditam que o leite de vaca poderia ser uma alternativa melhor do que a fórmula infantil. Eles testaram a expressão da proteína em temperaturas de pasteurização, garantindo que ela teria a aprovação de autoridades alimentares e de saúde. Os cientistas esperam que laticínios geneticamente modificados possam ser vendidos nos supermercados um dia. [POPSCI]

Um comentário

  1. Sinceramente, não acho ser uma grande coisa!
    Leite de vaca deve ser leite de vaca e nada similares…
    Ainda mais leite de mulher! arghh!

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>