Dando asas à informação

10 comidas de luxo que não podemos nos dar ao luxo de bancar

Por mais gostoso que seja comer fora, já é difícil o suficiente para nós, seres menos afortunados, frequentar restaurantes caros. Imagine então consumir itens raros e exclusivíssimos – as chamadas “comidas de luxo”, que custam absurdos. Confira alguns desses itens:

1 – Ovo de Aracauna

Aracauna é uma ave originária do Chile, que bota um ovo azul. O Tocqueville, em Nova York (EUA), serve um prato que vem com apenas um desses ovos, cozido, com risoto e sua escolha de macarrão tagliatelle ou nhoque artesanal para acompanhar. O prato é vendido por US$ 100 (cerca de R$ 200), porque o ovo é generosamente decorado com trufas negras (também chamadas de trufas de Périgord, região francesa de onde elas vêm).

2 – Melão Yubari

Os melões do tipo Yubari são melões híbridos, cultivados em estufas em Yubari, na ilha Hokkaido, no Japão. Seu sabor tem sido descrito como melão na parte da frente da língua, melancia no meio, e um sabor de abacaxi no final.

Você pode cultivar este híbrido, mas não pode chamá-lo de Yubari, a menos que o cultive em Yubari. Um melão médio é vendido por US$ 50 a US$ 100 (R$ 100 a R$ 200), mas os primeiros frutos perfeitamente esféricos do ano são leiloados por quantias tão exorbitantes quanto US$ 26.000 cada (cerca de R$ 52 mil). Basicamente a fruta mais cara do mundo.

3 – Flores de lúpulo

Flores de lúpulo são usadas para fazer cerveja. Plantas de lúpulo são cultivadas em “barras” conectadas por fios. Quando as plantas saem dessa treliça, elas dão brotos que crescem horizontalmente, não em vinha, nas extremidades das quais formam as flores. Lúpulo está entre as plantas que crescem mais rápido no mundo, com 20 a 50 centímetros por semana.

Então, se os brotos são colhidos antes de se transformar em flores, isso deve ser feito entre março e abril a cada ano. As primeiras colheitas são muito aguardadas e normalmente são vendidas em leilão, em média por 1.000 euros o kg (R$ 2.800 por kg).

4 – Pizza de ouro da Pizzaria Margo

Você pode comer ouro. Não vai nutri-lo, mas é perfeitamente inofensivo, desde que você não engasgue. Assim, para os ricos, é a expressão máxima da palavra “luxo”.

A Pizzeria Margo, em Malta, vende uma pizza coberta com trufas brancas e decorada com folhas de ouro. Trufas são o fruto que fica na superfície de cogumelos, enquanto o resto do cogumelo permanece sob o solo. Trufas brancas são as mais caras do mundo, já que são extremamente raras e difíceis de encontrar, e tem um sabor complexo descrito por um crítico como “como húmus. Alho. Gás natural. Meio queijo. Meio cebola, mas não meio cebola. Repolho. Terrestre. Celestial”.

Além das várias fatias de trufas no topo da pizza de 35 centímetros, ela é recheada com mussarela de búfalo, ou seja, queijo mussarela feito a partir de um búfalo que percorre a costa oeste da Itália, de Roma à Campânia, especialmente em torno de Nápoles. Margo depois polvilha 24 quilates flocos de ouro sobre a pizza. Ele aconselha o cliente a não pedir tomates na pizza, já que sua acidez destrói o sabor das trufas. A belezinha custava 1.800 euros (cerca de R$ 5.036) em 2011; já deve estar mais cara.

5 – Domaine de la Romanée-Conti

O título de vinho mais caro do mundo muda com frequência. Em alguns anos, o título vai para o Richebourg Grand Cru, mas o Domaine de la Romanée-Conti é, certamente, o vinho mais consistentemente valorizado no mundo.

As diferenças de safras anuais são enormes, variando muito em função da temperatura, umidade, chuva, etc. O Domaine só totaliza quatro hectares, produzindo cerca de 3.500 garrafas por ano, apenas 500 das quais são grands crus. A safra de destaque mais recente é a de 2005, com um preço médio de 7.400 libras (11,8 mil dólares ou 23,6 mil reais) por caixa com 12 garrafas. Isso é 1.966 reais por garrafa, ou 490 reais por copo. E a safra de 2005 é classificada como de “qualidade moderada” dentre os anos de safras excelentes. Uma garrafa da safra de 1990 foi vendida por 10.953 dólares (cerca de R$ 21.906) em maio de 2011.

O Domaine mantém suas notas de provas do vinho sob forte esquema de segurança, já que a mera imaginação de seu sabor pode ser suficiente para impedir que algumas pessoas ricas o comprem. Ainda assim, alguns segredos já vazaram para a internet: “os tintos de 2005 são jovens e encorpados, mas suas personalidades brilham, com muita fruta vermelha doce, firme, mas madura, influência sutil de carvalho, acidez eletrizante e um paladar que é sensual e suave no início, envolvendo-se suavemente ao redor da boca, em seguida, explodindo em suculência e refresco. Tome um gole, espere dois minutos e o sabor e a textura permanecem. Quase que literalmente suga a língua para fora da boca”.

6 – Sushi do Angelito Araneta Jr

Este deve ser o sushi mais caro do mundo. O prato do chef filipino Angelito Araneta Jr custava, dois anos atrás, US$ 1.971 cada 4 rolos (cerca de R$ 4 mil). Na sua página do Facebook, há a seguinte descrição: “vinagre balsâmico italiano de 12 anos de idade, arroz japonês, água virgem de 70 anos de idade, açúcar mascavo, salmão norueguês, ovas de salmão, pepino, manga, foie gras, pepino do mar (defumado, em seguida passado no vinagre e cozido a vapor até ficar macio e consistente), carne de caranguejo, açafrão selvagem, maionese com manteiga, 12 pérolas locais da ilha de Palawan e 4 diamantes africanos de 0,20 quilates de clareza VVS”.

VVS é um grau abaixo de “impecável”. As pérolas são do tamanho de ervilhas, e podem ser comidas, ou você pode guardá-las. O que Araneta não menciona é que cada rolo ou peça é envolto em folhas de ouro de 24 quilates.

7 – La Madeleine au Truffe

Trufa de chocolate não é geralmente feita de cogumelo, mas simplesmente de ganache (mistura cremosa de chocolate e creme de leite) coberto de chocolate (além de recheios diversos, que são comuns).

A trufa de Madeleine realmente usa uma trufa de cogumelo no seu recheio, a rara trufa negra, ou Périgord. Estas trufas são nomeadas assim por causa da área de Périgord, no sudoeste da França, onde crescem – e são vendidas por cerca de 3.940 euros o kg (R$ 11.023 por kg).

A trufa é mergulhada no chocolate 70% amargo da marca francesa Valrhona, além de creme de leite, açúcar, baunilha indonésia e puro azeite de trufa branca italiana. Este é o “ganache” em que as Périgord são enroladas. Em seguida, o doce é polvilhado com cacau extra.

Knipschildt, um Mestre Chocolatier em Norwalk, Connecticut (EUA), faz pessoalmente as trufas a um preço de US$ 250 cada uma, com 55 gramas (cerca de R$ 500). Ele as envia de sua loja, Chocopologie, para qualquer lugar do mundo dentro de 14 dias, sem custo adicional. Elas são postas em caixas de prata com fita de seda, descansando em almofadas de pérolas de açúcar.

8 – Presunto ibérico

O presunto ibérico ou presunto de pata negra é um tipo de presunto curado produzido principalmente nas fronteiras da Espanha e Portugal, baseado no porco preto ibérico, ou porco de pata negra. Esses porcos tem uma dieta exclusiva de bolotas (fruto produzido pela azinheira, pelo carvalho e pelo sobreiro, árvores da família do carvalho (gênero Quercus)). Isso dá um gosto puro para sua carne, não afetado pelo consumo de qualquer tipo de alimento ou comida estragada.

Todos os outros porcos pretos ibéricos são alimentados com cevada, milho e aveia para engordá-los rapidamente – e sua carne também é cara -, mas esses porcos especiais vivem ao ar livre em bosques de carvalho, onde caminham e correm. Esse exercício fortalece o sabor terroso de sua carne.

Os presuntos, ou as pernas traseiras dos porcos, são salgados por 2 semanas, então curados por 3 anos. O espanhol prepara a carne cortando-a mais fina do que bacon. O presunto não era exportado para a América até 2007, por não menos de US$ 213 (cerca de R$ 426) o quilo. Um conhecedor descreveu seu gosto como “absolutamente inacreditável”.

9 – Queijo de burro

Burros produzem leite assim como vacas e cavalos – e, como qualquer leite, pode ser transformado em queijo. Mais: seus criadores afirmam que é o queijo mais delicioso do mundo. Só é feito a partir dos 100 ou mais burros Balcãs da área em torno do rio Zasavica, no oeste da Sérvia. Os fabricantes defendem que seu preço é caro por causa da quantidade de leite necessária para fazê-lo: 25 litros para um quilo de queijo defumado.

Um crítico que experimentou o produto foi “surpreendido pelo poder do sabor. Noz forte, tom doce, fortemente semelhante ao queijo holandês leerdammer no começo, terminando em um gosto salgado como parmesão, que fisicamente entorpece a boca e glândulas salivares”. Por isso custa cerca de US$ 1.555 o kg (cerca de R$ 3.110).

10 – Sundae de ouro

Esta sobremesa é vendida exclusivamente no Serendipity 3, em Nova York (EUA). O restaurante é famoso por vender qualquer coisa que você queira, até mesmo a cadeira em que você está sentado. Tudo dentro do local tem um preço, menos a propriedade do restaurante, é claro. Ele é conhecido por seus cachorros-quentes e sobremesas geladas, e inventaram um sundae caríssimo em 2004.

Você deve encomendar um com antecedência mínima de 48 horas, para que os ingredientes possam ser adquiridos. Diferentes fontes relatam 3 e 5 bolas de sorvete de baunilha. Os grãos de baunilha são trazidos de avião do Taiti e de Madagáscar, cobertos com folhas de ouro de 23 quilates, e regados com Amedei Porcelana, um chocolate amargo que se diz o mais caro do mundo.

O sundae é então coberto por frutas cristalizadas como caqui, abacaxi, pêssego e passas, amêndoas mergulhadas em ouro, cerejas de marzipã e pequenos blocos de chocolate criollo, que é cultivado apenas na costa venezuelana. Em seguida, folhas de ouro são colocadas em cima de tudo, junto com uma pitada de flocos de ouro, e enfeites de açúcar que levam 18 horas para serem esculpidos. O sorvete é servido com uma colher banhada a ouro de 24 quilates e incrustada com diamantes reais, que você pode levar para casa junto com a taça de cristal revestida a ouro – tudo por US$ 1.000 (cerca de R$ 2 mil). No caso de você estar se perguntando: sim, você vai defecar ouro.[Listverse]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *