Dando asas à informação

10 criaturas horríveis do mar profundo

Quem mergulha sabe que o mar é incrível, cheio de criaturas maravilhosas, como os coloridos corais com seus peixes vibrantes ao redor. Mas nem tudo são flores. Nas profundidades do oceano vivem alguns dos piores e mais feios seres do mundo. Confira:

1 – Peixe-víbora

Só por esse nome você já imagina como esse cruel peixe deve ser. O Chauliodus sloani, encontrado a 80 a 1.600 metros abaixo da superfície do mar, é um dos mais perversos monstros marinhos que existem. Alguns são negros como a noite, equipados com órgãos de luz chamados fotóforos em lugares estratégicos de seus corpos, como na longa barbatana dorsal que serve como isca para suas presas (basicamente peixes menores).

Alguns peixes-víboras (e muitas outras espécies de peixes de profundidade) não tem qualquer pigmento (cor); são transparentes. Eles também têm olhos ampliados, presumivelmente para poder absorver o máximo de luz possível, onde geralmente há muito pouco ou nenhuma. Os fotóforos do peixe criam luzes usando um processo químico chamado bioluminescência.

2 – Peixe ogro

Esses nomes não são piada. O peixe ogro, Anoplogaster cornuta, é outra criatura de aparência ameaçadora que habita as águas profundas do oceano – realmente profundas, a 4.880 metros. Lá, a pressão é intensa, as temperaturas são congelantes, próximas ao zero, e a comida é escassa, então ele come qualquer coisa que encontrar – um verdadeiro ogro.

Embora possa parecer um monstro, ele só cresce até cerca de 15 centímetros de comprimento, tem um corpo curto e uma grande cabeça. Tem dentes longos e afiados. A cor dos adultos varia do castanho-escuro ao preto, completamente diferente dos jovens, que são cinza claro com espinhos na cabeça. O peixe ogro é encontrado em todo o mundo em regiões oceânicas temperadas e tropicais, incluindo as águas ao largo da costa da Austrália.

3 – Peixe-dragão-do-mar-profundo

O Grammatostomias flagellibarba é um predador feroz, apesar de seu pequeno tamanho. Ele mistura características dos dois peixes acima: tem cerca de 15 cm de comprimento, uma cabeça grande e boca equipada com muitos dentes afiados, e um órgão produtor de luz conhecido como fotóforo.

Ele usa sua luz como isca e, assim que um peixe desavisado chega perto demais, o peixe dragão o captura com suas mandíbulas poderosas. Seus fotóforos também podem ser utilizados para sinalizar a outros de sua espécie durante o acasalamento.

O peixe dragão vive em águas profundas de 1.500 metros, e é encontrado na maioria das regiões tropicais do mundo.

4 – Peixe diabo negro

O peixe diabo negro, Melanocetus johnsoni, tem uma aparência grotesca e vive a profundezas de 910 metros do oceano. Ele tem uma boca grande com dentes afiados, mas atinge um comprimento máximo de cerca de 12 centímetros. Ele também possui fotóforos, para atrair suas presas.

O macho dessa espécie é menor e diferente de aparência da fêmea. O macho tem aproximadamente o tamanho de um dedo e tem dentes de gancho pequenos, que utiliza para agarrar uma fêmea. Ele deveria se chamar na verdade “parasita nojento”, uma vez que, quando se conecta a uma fêmea, seus vasos sanguíneos se juntam aos delas e ele passa o resto de sua vida ao lado da fêmea como um parasita, recebendo alimento de seu corpo. Se o macho é incapaz de se unir a uma fêmea, ele morre de fome. Bem parecido com uma outra espécie animal, a Homo sapiens, sabe?

5 – Enguia-pelicano ou enguia boca de guarda chuva

Essa enguia, Eurypharynx pelecanoides, é talvez uma das criaturas mais bizarras do fundo do oceano. Seu atributo mais notável é sua boca enorme, capaz de engolir um animal muito maior do que ela (daí seu nome popular). O animal infeliz é depositado em uma espécie de “bolsa” como a do pelicano, e seu estômago pode esticar para acomodar suas grandes refeições. A enguia também tem uma cauda muito longa. Ela cresce até no máximo 1,83 metros e é encontrada em todos os oceanos do mundo, a profundidades que variam de 900 a 2.000 metros.

6 – Lula gigante

A lula gigante, Architeuthis dux, é um dos maiores animais do mundo, atingindo um comprimento de até 18 metros. É o maior invertebrado conhecido do mundo, um molusco membro da classe dos cefalópodes, que inclui o polvo e outras lulas.

Muito pouco se sabe sobre esse animal misterioso, porque nenhum já foi visto com vida em estado selvagem.
A maior parte do que sabemos sobre as lulas gigantes vem dos corpos de espécimes mortos que chegaram a costa ou foram puxados de redes de pescadores.

Estes animais são carnívoros, e comem praticamente qualquer coisa que puderem pegar. Durante a Segunda Guerra Mundial, histórias dos sobreviventes de navios afundados falam de companheiros sendo comidos por essas criaturas na escuridão da noite. Existem até relatos de lulas gigantes pulando da água e puxando homens de pequenos barcos. Nenhum desses relatos foi oficialmente verificado, mas pintam a imagem de um predador poderoso. A lula tem oito longos tentáculos com ventosas fortes, que usam para segurar suas presas. Um bico afiado e poderoso acaba com a vítima. A lula gigante parece ser uma refeição favorita da baleia cachalote. Elas já foram encontradas nos estômagos de baleias mortas, e muitas têm cicatrizes dos tentáculos da lula.

7 – Isópodo gigante


Ah, o que qualquer mulher adoraria: um inseto gigante. Na verdade,o isópodo gigante, Bathynomus giganteus, é o maior membro conhecido da família dos isópodes, muito intimamente relacionado com insetos que você pode encontrar no seu jardim, mas é graças a Deus um crustáceo carnívoro que gasta seu tempo limpando o fundo do oceano profundo, a 600 metros, onde nós não vamos. A comida é extremamente escassa nessas grandes profundidades, então o isópodo come qualquer coisa que cair da superfície ao fundo do mar. Ele também se alimenta de alguns dos pequenos invertebrados que vivem nessas profundidades. Eles atingem 40 centímetros de comprimento e, quando ameaçados, podem enrolar-se numa bola apertada, onde são protegidos por suas conchas blindadas. Eles têm bocas complexas que contêm muitos componentes que trabalham juntos para perfurar, rasgar e estripar presas vivas ou mortas.

8 – Peixe-caixão

O peixe-caixão (B. melanostomus) tem um corpo flácido e uma cauda longa cobertos com pequenos espinhos. Esta espécie cresce a pelo menos 10 centímetros de comprimento e vivem no Oceano Índico em profundidades que variam de 1.320 metros a 1.760 metros. O nome melanostomus vem do grego que significa preto (melanos) e boca (stoma). Existem dois gêneros desse peixe da família Chaunacidae, que se diferem por características físicas.

9 – Lula-vampiro

A lula-vampiro, Vampyroteuthis infernalis, tem aletas grandes em seu corpo que se assemelham a grandes orelhas. É muito gelatinosa, semelhante a uma água-viva, e tem os maiores olhos de qualquer animal. É pequena, cerca de 15 cm, e é coberta com fotóforos que ligam e desligam à vontade. Desligados, a lula fica completamente invisível nas águas escuras em que vive, a 900 metros. Seus “braços” são cobertos com afiados dentes. Um deles pode estender-se duas vezes o comprimento do corpo do animal, vantagem que permite que a lula-vampiro capture suas presas. Quando ameaçada, ela pode formar uma teia defensiva que cobre seu corpo. Ela nada muito rápido para um animal gelatinoso, atingindo uma velocidade de 2 comprimentos corporais por segundo em apenas 5 segundos. A lula-vampiro é encontrada em todo o mundo, na maioria das regiões tropicais e temperadas.

10 – Quimera do Pacífico

Os biólogos foram a grandes profundidades – 2.440 metros – para descrever esse animal, Harriotta raleighana, que pode chegar a 1,52 metros de comprimento. Seu nariz lembra o contorno de um avião a jato supersônico. Na África do Sul, é conhecido como “tubarão fantasma”, embora seja apenas remotamente relacionado a tubarões. Um toque na sua espinha venenosa, na primeira barbatana dorsal, pode matar uma pessoa, embora tal destino seja improvável, dada a profundidade em que ele vive.[Oddee]

Um comentário

  1. tem mais uma criatura no mar, chama.. lula….

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *