Dando asas à informação

10 descobertas arqueológicas surpreendentes

O passado pode ser chocante. Embora muitos achem que a natureza humana nunca muda, a arqueologia consegue nos surpreender, mostrando coisas que transformam nossa concepção da história. Confira dez descobertas arqueológicas surpreendentes recentes:

1 – Tintinnabula

Durante séculos, o Império Romano foi visto como o auge da civilização. Ruínas romanas estavam entre os mais grandiosos edifícios ainda em pé, e suas estátuas majestosas – mais finas até do que as do Renascimento – estavam sendo constantemente descobertas.

Por um longo tempo, a verdade chocante da vida romana cotidiana foi completamente escondida. A descoberta de Pompéia mudou tudo isso: nos mostrou que havia uma presença constante da sexualidade em uma vida romana não tão majestosa assim. Os romanos aparentemente não tinham vergonha alguma, principalmente do membro sexual masculino. O tintinnabula, ou sinos de vento, encontrado em muitas das casas, representam enormes falos alados cercados por sinos. Para os romanos, o falo simbolizava saúde masculina, e supostamente afastava o azar.

2 – Mecanismo de Antikythera

Em 1901, um velho navio naufragado foi descoberto por pescadores na costa da ilha grega de Antikythera. Entre os achados estavam bens comerciais típicos, como estátuas e frascos. Também foi encontrado um objeto fundido em metal. Por quase cem anos após a sua descoberta, o mecanismo foi considerado uma simples curiosidade.

Agora, é considerado um precursor do computador. As engrenagens e rodas do mecanismo são capazes de calcular onde as estrelas e os planetas devem aparecer no céu noturno. Esta descoberta revela não apenas uma compreensão profunda do movimento dos céus, mas também a capacidade de replicar esses movimentos em uma estrutura artificial. Sugere um entendimento mecanicista do universo, que aponta para o desenvolvimento da ciência como a melhor maneira de lidar com o mundo que nos rodeia.

3 – Pedras afiadas antigas

Na ponta sul da África do Sul, fragmentos de pedra afiada, perfeitamente adequados para pontas de lança, foram descobertos. Os fragmentos têm 200.000 anos de idade, e sugerem que os seres humanos caçavam para alimentação muito mais tempo atrás do que se pensava. Algumas evidências sugerem que os seres humanos podem ter sido caçadores ainda mais cedo do que isso, já que o que parecem restos de fogueiras foram encontrados datando de até um milhão de anos de idade.

4 – Antibióticos antigos

Antibióticos científicos têm cerca de 70 anos de idade. No entanto, ossos foram encontrados em Núbia, datando de 550 dC, que mostram traços de tetraciclina, um antibiótico usado ainda hoje. Como as pessoas usavam um antibiótico mais de mil anos antes dele ser descoberto? A tetraciclina é produzida através de levedura, e levedura pode ser utilizada na produção de cerveja. Parece que os núbios antigos, mesmo as crianças, bebiam cerveja como medicamento.

5 – Vênus de Willendorf

Uma das mais antigas estátuas já descobertas retrata uma mulher obesa com os seios inchados. A Vênus de Willendorf foi descoberta na Áustria, e tem 26.000 anos de idade. É altamente improvável que qualquer membro de uma antiga sociedade seria tão superalimentado a ponto de ser obeso, assim as estátuas devem ter sido simbólicas e não representativas.

Estas estátuas foram provavelmente esculpidas para representar a maternidade. A presença de figuras rotundas em muitos locais antigos sugere que as práticas religiosas primitivas estavam relacionadas com a adoração da feminilidade.

6 – Lentes de Visby

As lentes de Visby são uma coleção de rochas cristalinas encontradas em túmulos Vikings na Suécia. Todos são polidas de forma muito específica para aumentar a visão. Elas são capazes de ampliar as coisas, e teriam permitido trabalho artesanal detalhado. Como lupas modernas, também poderiam focalizar a luz. Elas podem, por conseguinte, ter sido utilizadas para acender fogueiras, ou até mesmo para cauterizar feridas.

7 – Dodecaedros romanos

Às vezes, arqueólogos descobrem um artefato cuja finalidade é um completo mistério. É raro que uma classe inteira de artefatos permaneça desconhecida, ainda assim, em todo o mundo romano, dodecaedros de metal pequenos com círculos recortados foram descobertos – e nós não temos ideia de como eles eram originalmente utilizados. Alguns sugerem que os objetos foram usados como suportes de vela (improvável em uma época na qual as lâmpadas de óleo eram a norma), enquanto outros pensam que eram usados para julgar distância.

8 – Baterias de Bagdá

Nas ruínas da Mesopotâmia, frascos foram encontrados contendo cilindros de ferro e pregos de cobre. Eles ainda são um mistério, mas a especulação trouxe algumas teorias interessantes. Se esses frascos estivessem cheios de suco de uva, ácido, tensão (voltagem) poderia ter sido produzida. Reconstruções modernas dos frascos têm mostrado que a tensão produzida teria sido suficiente para permitir o uso elétrico. Para afirmarmos tal coisa, no entanto, são necessárias mais provas.

9 – Flautas modernas

Em uma caverna na Alemanha, ossos de mamute foram encontrados com buracos esculpidos, semelhantes a flautas modernas. Os ossos encontrados tinham 40.000 anos de idade: eles sugerem que sociedades musicais complexas existiram no passado distante. Parece pouco provável que uma pessoa sozinha criasse tais instrumentos musicais. Em uma comunidade, no entanto, um especialista teria tempo para esculpir o instrumento, e ensinar os outros a tocá-lo, o que sugere que as sociedades primitivas valorizavam a música o suficiente para fornecer aos músicos, e apoiá-los.

10 – Ötzi ou Múmia do Similaun

Em 1991, alpinistas descobriram um corpo congelado nos Alpes. Uma vez libertado do gelo, pesquisadores descobriram que o corpo tinha 5.000 anos de idade. Os restos surpreendentemente bem preservados ajudaram os cientistas a compreender a vida de nossos antepassados.

Buracos nas orelhas do corpo, nomeado Ötzi, teriam sido usados para algum tipo de brinco. A pele de sua coluna, joelho e tornozelos estava tatuada. Seu corpo tinha vários ferimentos, incluindo uma flechada, o que sugere que ele foi atacado por outros seres humanos, antes de finalmente perecer nas montanhas.[Listverse]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *