Dando asas à informação

10 estruturas incríveis menos conhecidas

A civilização humana criou e construiu muitas estruturas surpreendentes, e esses legados monumentais deixados por nossos ancestrais nos dão muito orgulho. Infelizmente, apenas algumas destas estruturas surpreendentes são de renome mundial. Você já deve ter ouvido falar do Coliseu e das Pirâmides de Giza, mas essa lista se presta a destacar estruturas históricas menos conhecidas.

Algumas não podem ser datadas do mundo antigo, mas ainda são criações incríveis de nossos antepassados. Confira:

10. Incallajta

10

A Bolívia é uma nação repleta de história inca, embora isso nem sempre seja lembrado. Incallajta, apenas algumas horas a leste de Cochabamba, por exemplo, foi uma comunidade e fortaleza inca que fica na foz de um vale cênico. Antes da conquista espanhola, os incas haviam se expandido para o vale de Cochabamba por causa de seu rico potencial agrícola. Eles construíram complexos sistemas de estradas e fortalezas, e Incallajta foi um esforço estratégico para a expansão em direção à Amazônia. Esta fortaleza foi construída originalmente pelo inca Tupac Yupanqui, em torno de 1465, para repelir os invasores das regiões tropicais mais baixas. A fortaleza remota não foi bem preservada, e só recentemente começou a ser protegida pelo governo da Bolívia, através da Universidade de San Simon, em Cochabamba.

9. Templo de Hércules Victor

9

O Templo de Hércules Victor é um edifício antigo no Fórum Boário em Roma, e é um templo redondo estilo grego clássico. Ele remonta ao século 2 e consiste de uma cela dentro de um anel concêntrico de vinte colunas coríntias. As colunas apoiavam um antigo arquitrave (parte superior que as une) e um telhado. Infelizmente, ambos desapareceram, mas a parede e 19 das 20 colunas originais ainda permanecem no local. A estrutura tem uma importância histórica muito grande, já que é o edifício mais antigo de mármore sobrevivente em toda Roma. Não há fontes precisas, por isso não se pode estar absolutamente certo a quê era dedicado este templo e como foi chamado originalmente, mas acredita-se que está conectado com a lenda de Hércules e Caco, que é a principal razão pela qual é conhecido hoje como o templo de Hércules Victor.

8. Templos de Mỹ Sơn

8

O completo de mais de templos de Mỹ Sơn, no Vietnã, é um dos mais surpreendentes grupos de estruturas antigas, mas, infelizmente, é em grande parte desconhecido, especialmente no mundo ocidental. Ele foi um dos mais importantes complexos de templos do budismo, datando do século 4. Era um importante centro de conhecimento, espiritismo e política para a cultura Champa. Localizado um vale verdejante no centro do Vietnã, esse importante sítio arqueológico ilustra o povo que controlou o que é agora o Vietnã contemporâneo até o século 13. Em 1937, estudiosos franceses começaram a restaurar os templos. Infelizmente, muitos edifícios históricos foram destruídos durante a Guerra do Vietnã, quando aviões americanos estavam bombardeando a região. A área ao redor de Mỹ Sơn é até hoje altamente perigosa para turistas e visitantes, por conta da possível presença de minas terrestres não detonadas.

7. Templo de Poseidon no cabo de Sunião

7

O templo de Poseidon em Sunião é um dos santuários mais importantes do mundo, no entanto, poucos fora da Grécia o conhecem. Esporádicas descobertas apontam para a conclusão de que o local foi habitado no período pré-histórico, mas não há nenhuma evidência de prática religiosa na área tão cedo. O templo é mencionado pela primeira vez na obra Odisséia, como o lugar onde Menelau fez uma pausa durante seu retorno de Tróia para enterrar seu timoneiro, Phrontes Onetorides. As descobertas do século 7 aC são numerosas e provam a existência de um culto organizado em dois pontos do promontório no extremo sul, onde o templo (“temenos”, ou recinto sagrado) de Poseidon estava situado. Hoje, o templo de Poseidon em Sunião é um local cultural menos conhecido, mas um ponto romântico bem quisto por jovens casais que querem desfrutar de uma vista incrível e lua cheia em agosto.

6. Chogha Zanbil

6

Chogha Zanbil é um enorme zigurate (templo na forma de pirâmides terraplanadas criado pelos sumérios e comum para os babilônios e assírios, pertinente à época do antigo vale da Mesopotâmia) localizado no Irã e é um dos monumentos mais impressionantes do Khuzistão moderno. Foi construído em 1250 aC pelo rei Untash-Napirisha para homenagear o grande deus Inshushinak. O local tem mais de três mil anos de idade, e está em ótimas condições. É também um dos únicos zigurates construídos fora da Mesopotâmia. Zigurates não eram utilizados da mesma forma que a maioria dos templos ocidentais; eles não eram feitos para abrigar sacerdotes ou realizar rituais. Ao invés disso, um zigurate era visto como um lugar de descanso para os deuses. Ao construir um zigurate perto de uma grande cidade, os governantes podiam garantir que os deuses ficassem por perto e protegessem as pessoas. Em 1979, Chogha Zanbil tornou-se o primeiro local iraniano a ser inscrito na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO.

5. Jetavanarama Dagoba

5

O Jetavanarama Dagoba, que foi um projeto do rei Mahasena, é o maior edifício em Anuradhapura, no Sri Lanka. Originalmente, tinha nada menos do que 122 metros de altura, tornando-o a terceira estrutura mais alta na Terra na sua época, após as pirâmides de Dharshur e Giza, no Egito. Ele deve ter dominado a cidade antiga, da mesma forma que domina as ruínas hoje, apesar de sua altura ter diminuído para cerca de 75 metros. Mas, enquanto há séculos sua cúpula foi incrustada com vegetação e sua torre quebrada, agora está sendo restaurado com o apoio da UNESCO. Se de alguma forma o Jetavanarama Dagoba lhe parece familiar, provavelmente é porque você se lembrou do belo cenário do clipe de Duran Duran, “Save A Prayer”.

4. Ruínas de Nalanda

4

Nalanda foi uma universidade budista fundada em 450 dC, e foi a universidade que funcionou por mais tempo na história indiana. Entre os seus muitos convidados notáveis estão Buda e Mahavira. Em seu apogeu, a universidade acomodou mais de 10.000 alunos e 2.000 funcionários. A escola viu a ascensão e queda de muitos impérios e imperadores, que contribuíram para seu desenvolvimento. No entanto, foi destruída por invasores muçulmanos turcos em 1193, quando os alunos e professores foram massacrados e a grande biblioteca foi incendiada. Hoje em dia, tudo o que resta são extensas ruínas distribuídas por uma área de 14 hectares, lembrando os visitantes da grandeza de um passado glorioso.

3. Abadia de Vézelay

3

A abadia beneditina de Sainte-Marie-Madeleine de Vézelay, na Borgonha, é um dos mais importantes monumentos sobreviventes da arquitetura e escultura do período românico. Era uma igreja de peregrinação que supostamente guarda as relíquias de Santa Maria Madalena, a quem é dedicada. O edifício do início do século XII é notável pela sua nave abobadada e nártex, entre outros elementos arquitetônicos e de arte. O coro remonta ao final do século XII e é uma testemunha importante da adoção do estilo gótico na Borgonha. A escultura na fachada exterior foi em grande parte destruída durante a Revolução Francesa, mas alguns de seus fragmentos ainda sobrevivem no claustro.

2. Templo de Hefesto

2

O Templo de Hefesto foi construído em 450 aC e foi dedicado ao deus do fogo, Hefesto. Está localizado em Thission, uma das áreas mais turísticas e modernas de Atenas hoje, que atrai mais de 10 milhões de visitantes por ano. O templo é descrito pela UNESCO como um dos melhores templos antigos preservados do mundo, o que realmente nos faz perguntar como ainda permanece largamente desconhecido fora da Grécia. Feito de mármore, é alto e grandioso. Foi construído no topo de uma pequena colina com 34 colunas e estilo dórico, e é um monumento imperdível quando se visita a região da Ágora em Atenas. Esta área foi o centro da atividade comercial, política e social durante o Século de Ouro de Péricles, e era um lugar de encontro para os cidadãos atenienses antigos.

1. Meteora

1

Meteora são mosteiros no topo de torres de pedra. Em uma região de picos de arenito quase inacessíveis, a área foi estabelecida originalmente por monges que viviam em cavernas dentro das rochas durante o século 11. É considerado um feito único de arquitetura magnífica e criatividade humana: uma mistura da maravilha da natureza com enormes falésias inacessíveis e o milagre do homem que conseguiu domá-las e construir estruturas em tal lugar. Os edifícios dos mosteiros começaram a ser erguidos no século 14. Até o século 16, havia 24 mosteiros operando. Eles foram não só centros religiosos, mas acadêmicos e artísticos, e atraíram filósofos, poetas, pintores e profundos pensadores da Grécia durante o reinado do Império Bizantino. Durante a ocupação otomana, eram os mosteiros que mantinham viva a cultura grega e as tradições da região. Acredita-se que, se não fosse pelos mosteiros, a cultura e religião helênicas teriam desaparecido e a Grécia moderna seria apenas um reflexo do Império Otomano, com muito pouco conhecimento de suas raízes. Hoje, apenas seis dos mosteiros estão ativos.[Listverse]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *