Dando asas à informação

10 fatos interessantes sobre as Eras do Gelo

Eras glaciais sempre foram um mistério. Nós sabemos que podem reduzir continentes inteiros a nada mais do que tundras congeladas. Também sabemos que houve 11 ou mais delas até hoje, e que parecem acontecer em intervalos regulares de tempo. Ainda assim, há muito mais para descobrir sobre as Eras do Gelo. Confira:

10. Animais gigantes

10
Até o momento da última idade do gelo, a evolução já tinha “criado” mamíferos. Os animais que conseguiram prosperar a ela eram geralmente bastante grandes e cobertos de pelos. Os cientistas chamam esses animais de “Megafauna”, e eles conseguiram sobreviver ao clima frio porque já tinham evoluído em lugares congelados, como o Tibete. A era glacial essencialmente transformou o mundo em seu playground, enquanto outras espécies menos resistentes ao frio sumiram. Herbívoros estavam acostumados a encontrar comida em ambiente gelado, tendo adaptado a situação de várias maneiras; por exemplo, o rinoceronte da era do gelo pode ter tido um chifre em forma de pá para remover a neve. Carnívoros, como tigres dente de sabre, ursos de focinho curto e lobos gigantes também se viraram. Apesar de suas presas serem capazes de lutar contra eles, eram grandes e carnudas e havia muitas delas.

9. Humanos resistentes

9
Apesar de não serem particularmente grandes ou peludos, Homo sapiens conseguiram sobreviver às tundras geladas de eras glaciais por incontáveis milênios. A vida era difícil, mas as pessoas eram criativas. Por exemplo, 15 mil anos atrás, os humanos da era do gelo viviam em tribos de caçadores-coletores, construíam abrigos inovadores a partir de ossos de mamute, e costuravam roupas quentes a partir de peles de animais. Quando havia abundância de comida, eles reuniam os alimentos e os deixavam na geladeira da natureza: a camada de permafrost, um gelo permanente. Como as ferramentas de caça na época eram principalmente facas de pedra e flechas, armas eficientes eram raras. Para capturar e matar os animais enormes da idade do gelo, as pessoas usavam armadilhas. Quando algum animal caía em uma, os homens o atacavam em grupo.

8. Mini Era do Gelo

8
Às vezes, mini idades do gelo surgiam entre as reais, de grande escala. Não são tão devastadoras, mas ainda podem causar fome e doenças, devido a colheitas fracassadas e outros efeitos colaterais desagradáveis. A mais recente dessas “mini eras glaciais” ocorreu nos séculos 12 a 14, com pico entre 1500 e 1850. Por centenas de anos, o Hemisfério Norte foi submetido a temperaturas extremamente frias. Na Europa, os mares rotineiramente congelavam e países montanhosos e frios (como a Suíça) assistiam geleiras avançarem e esmagarem suas aldeias. Anos sem verão foram registrados, e as condições meteorológicas desagradáveis influenciaram cada aspecto da vida e da cultura (talvez contribuindo para nossa ideia da Idade Média como um período particularmente sombrio). A ciência ainda está tentando descobrir o que causou esta pequena idade do gelo. O motivo pode ter sido uma combinação de atividade vulcânica forte e uma queda temporária na energia do sol.

7. Era do Gelo quente

7
Algumas eras glaciais podem realmente ter sido quentes. Sim, o chão estava coberto por grandes quantidades de gelo, mas o clima era muito agradável. Às vezes, os eventos que levam a uma idade do gelo são tão graves que, mesmo que o ambiente esteja cheio de gases de efeito estufa (que mantêm o calor do sol na atmosfera, aquecendo o planeta), o gelo começa a se formar porque, após a poluição ficar grossa o suficiente, ela pode refletir os raios do sol de volta ao espaço.

6. Louis Agassiz

6
Agassiz foi um cientista francês respeitado do século 19. Ele é praticamente a única razão pela qual sabemos que existiram eras glaciais. Embora outros tivessem discutido a ideia antes, em 1837 ele se tornou a primeira pessoa a testar a noção de uma era do gelo. Suas teorias e publicações sobre campos de gelo abrangentes que cobriram grande parte da terra foram descartadas como bobagem quando ele as apresentou pela primeira vez. No entanto, mais pesquisas (e evidências geológicas) eventualmente levaram outros a acreditarem em sua teoria. Curiosamente, seu trabalho pioneiro sobre as eras glaciais e atividade glacial era apenas uma espécie de hobby. Ele era, na verdade, um ictiólogo (cientista especializado no estudo de peixes).

5. CO2

5
As teorias de que eras glaciais se repetem em intervalos semirregulares, não importa o que façamos, muitas vezes entram em desacordo com as teorias sobre o aquecimento global. Enquanto o último é certamente uma coisa real, alguns dizem que pode ser um pouco útil na luta contra as eras glaciais futuras. Emissões de dióxido de carbono causadas por seres humanos são consideradas uma grande parte do atual problema do aquecimento global. No entanto, podem ter um efeito colateral estranho. De acordo com pesquisadores da Universidade de Cambridge, as emissões humanas de CO2 podem ser capazes de parar a próxima era glacial. Funciona assim: apesar do ciclo planetário da Terra tentar “iniciar” eras glaciais de vez em quando, a única maneira de começá-las é se os níveis de dióxido de carbono da atmosfera estiverem excepcionalmente baixos. Ao bombear CO2, a humanidade pode ter acidentalmente impedido eras glaciais temporariamente. Mesmo se a preocupação com o aquecimento global fazer com que nós reduzamos significativamente nossas emissões de CO2, nós já enviamos tanto do material à atmosfera que as concentrações ainda seriam capazes de impedir uma idade de gelo por pelo menos 1.000 anos.

4. Plantas

4
Predadores sempre podiam comer outros animais, mas como os herbívoros da era do gelo sobreviviam? Aparentemente, muitas plantas podem lidar com uma idade de gelo. Até nos tempos mais frios dessas épocas, havia estepes, pastagens e áreas de matagal que permitiam que os mamutes e outros animais herbívoros tivessem alimento. Estas pastagens eram movimentadas com plantas que podiam crescer em um clima frio e seco, como abetos e pinheiros. Em áreas mais quentes, espécies como a bétula e o salgueiro também eram abundantes. Ao todo, o clima nessas áreas de vegetação era, provavelmente, bastante semelhante a Sibéria. As plantas reais podem ter sido bastante diferentes das suas homólogas modernas, porém, temos muito pouco conhecimento de como as plantas se adaptaram a ambientes da idade do gelo. E as eras glaciais também destruíram a sua quota de vegetação. Se uma planta não era capaz de se adaptar ao clima, suas únicas opções eram migração via sementes ou extinção. Por exemplo, a região de Victoria, na Austrália, costumava ter uma das vidas vegetais mais diversificadas do mundo, até a idade de gelo dizimar um bom pedaço dela.

3. Himalaia

3
O Himalaia pode ter sido diretamente responsável por causar uma era glacial. Quando as massas da Índia e da Ásia colidiram 40 a 50 milhões de anos atrás, o impacto triturou enormes quantidades de pedra na cordilheira do Himalaia. A massa incomensuravelmente enorme de pedra começou a se corroer quimicamente, um processo que removeu quantidades significativas de dióxido de carbono da atmosfera ao longo do tempo. Isso, por sua vez, pode ter permitido que o clima do planeta esfriasse o suficiente para desencadear uma era glacial.

2. Bola de neve

2
Na maioria das eras glaciais, camadas de gelo cobriram apenas partes do mundo. Mesmo uma idade de gelo particularmente grave possuía neve cobrindo apenas cerca de um terço do globo. A “Terra bola de neve” é o período no qual, literalmente, cada parte da superfície do planeta é congelada, até que a Terra seja apenas uma enorme bola de neve zunindo pelo espaço. A vida só pode sobreviver a esse congelamento total nas zonas raras em que há relativamente pouco gelo ou, no caso das plantas, nos poucos lugares onde há luz solar suficiente para permitir a fotossíntese. De acordo com algumas evidências, uma Terra bola de neve aconteceu pelo menos uma vez, 716 milhões de anos atrás. Pode ter havido outras.

1. Jardim do Éden

1
Alguns cientistas estão convencidos de que o Jardim do Éden foi real. Eles pensam que existiu na África, e foi o único motivo pelo qual nossos antepassados sobreviveram a uma era glacial. Um pouco menos de 200 mil anos atrás, uma idade do gelo particularmente hostil estava matando espécies a torto e a direito. Felizmente, um pequeno grupo de humanos primitivos foi capaz de sobreviver ao frio terrível. Eles chegaram à costa do que hoje é a África do Sul. Esta área estava livre de gelo e totalmente habitável. Seu solo rico em nutrientes e as muitas cavernas naturais para serem usadas como abrigos tornaram o local um verdadeiro paraíso. A população desse Jardim do Éden era de apenas algumas centenas de indivíduos. Esta teoria, que é apoiada por muitos especialistas, mas ainda carece de evidências conclusivas, parece se alinhar com resultados de pesquisas que mostram que os seres humanos têm muito menos diversidade genética do que a maioria das outras espécies. [Listverse]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *