Dando asas à informação

10 fenômenos naturais incríveis registrados em câmera

A natureza adora nos fazer perceber quão pequenos somos em face ao grande esquema das coisas. Quanto mais olhamos, mais nos surpreendemos com os fenômenos que ela é capaz de criar. Aproveite para curtir alguns deles, que puderam ser registrados em vídeos e fotografias:

10. Espuma do mar


Espuma do mar é criada quando água marinha com uma alta concentração de matéria orgânica é agitada, geralmente por causa de ondas quebrando. Isto causa uma linha fina de espuma na costa, mas, ocasionalmente, a espuma é produzida em quantidades tão grandes que se liberta da água e invade a terra.

Espuma seca pode ser criada em grandes quantidades por algumas razões, a mais comum delas sendo a proliferação de algas. Quando grandes quantidades de alga aparecem no mar, a matéria em decomposição resultante pode criar espuma quando é agitada. Na maioria das vezes, esta espuma é inofensiva, e um bom indicador de normalidade no ecossistema do oceano. Às vezes, porém, uma grande quantidade de espuma do mar pode criar riscos, como toxinas que podem irritar os olhos e o sistema respiratório de banhistas, e que causam grande mortandade de aves marinhas e outros organismos aquáticos.

9. Dendritos de gelo


Os dendritos são cristais que se formam em um padrão de repetição que lhes dá uma aparência de “galhos de árvore”. Em mineralogia, formações dendríticas são criadas sempre que manganês e água rica em ferro fluem ao longo das aberturas em vários tipos de rochas. Em química, um dendrito é qualquer cristal que se ramifica em duas partes durante o crescimento.

No gelo, essas formas são criadas quando a umidade da atmosfera circundante condensa quase instantaneamente. O resultado é uma série de padrões que vai continuar a se repetir até que as condições ambientais mudem. O crescimento de cristais dendríticos de gelo é semelhante ao de um ser vivo: fica infinitamente mais complexo ao longo do tempo.

8. Ondas de nuvens

8
As ilhas podem criar ondas no céu. No oceano, há muito pouco para perturbar o caminho que o vento faz sobre a água. Isto significa que as coisas ou pessoas na água, como barcos, experimentam ventos muito mais fortes do que alguém que está na terra, no meio de uma cidade, onde vários edifícios, carros, árvores e outras coisas podem impedir o fluxo de ar. Quando correntes de ar fortes na água aberta são interrompidas por uma ilha em seu caminho, o ar pode se dispersar ou fazer a volta ao longo da ilha, como o ar sobre o para-brisa e teto do carro enquanto você está dirigindo. Este “desvio” pode criar ondas impressionantes nas nuvens a favor do vento onde o caminho foi alterado. A NASA foi capaz de captar algumas imagens deste fenômeno nas Ilhas Sandwich do Sul, em 2009.

7. Explosões em lagos


Explosões em lagos são fenômenos naturais que ocorrem quando quantidades invulgarmente grandes de CO2 ou gás metano estão presentes na água. Durante estes eventos, é possível ver a superfície do lago cheia de bolhas liberadas das profundezas. Isso cria uma nuvem perigosa de gás que pode ser fatal para aqueles ao redor.
Este fenômeno era inédito até 1984, quando um lago em Camarões explodiu e produziu uma nuvem de gás que matou 37 pessoas. Outro lago camaronês explodiu em 1986, matando cerca de 1.700. Neste vídeo, você pode ver uma enorme quantidade de gás metano inflamável saindo de vários lagos congelados ao redor do mundo. Isso só demonstra o quão perigoso o lago seria se descongelado. Porém, a ação mostrada no vídeo, de deixar o gás sair, alivia o lago do metano, queimando-o quando entra na atmosfera.

6. Asperatus


Nuvens “asperatus” são como ondas em um oceano no céu com seu movimento que flui constantemente e, apesar de parecerem ameaçadoras, costumam se dissipar sem qualquer tipo de tempestade. Uma vez que são uma descoberta recente, os cientistas não tem certeza de que as causa. Atualmente, estudos estão sendo feitos para reunir evidências sobre que tipos de condições meteorológicas são necessárias para a aparição das asperatus. Elas ocorrem com mais frequência na região das Grandes Planícies nos Estados Unidos. Alternativamente conhecidas como “undulatus asperatus”, elas são aceitas como sendo estreitamente relacionadas com nuvens undulatus. Mas, a partir de 2009, as asperatus, descobertas há apenas 30 anos, têm sido propostas como uma nova classe de nuvens. Se esta proposta for bem sucedida, será a primeira nova classificação em mais de 50 anos.

5. Tsunami de gelo


Um “tsunami de gelo” ocorre quando correntes oceânicas ou ventos fortes permitem que gelo, mesmo que parcialmente derretido, se acumule na beira da água e, eventualmente, comece a avançar para a terra. Essencialmente, o gelo se desloca através do mesmo mecanismo que um iceberg. Enquanto fortes correntes oceânicas permitem que icebergues se movam através da água, ventos fortes podem permitir que o gelo vença o atrito do terreno e comece a mover-se. Testemunhas compararam o som de um tsunami de gelo ao som de um trem, trovão ou de inúmeras janelas quebrando ao mesmo tempo. O fenômeno pode causar dano a casas e árvores mais próximas do evento. Ocorre mais comumente em áreas do norte do planeta, como o Canadá.

4. Lava azul


Um fenômeno incomum foi recentemente gravado no vulcão Ijen, na Indonésia: o fluxo de lava da cratera possuía uma cor azul brilhante. A cor não vinha da lava em si; era, na verdade, resultado de gás sulfúrico saindo de fissuras do vulcão. Quando o gás altamente pressurizado se encontra com o ar, parte do enxofre se condensa em forma líquida azul e continua queimando enquanto faz sua descida pelas encostas, junto com a lava. Embora não seja descrito com frequência, enxofre derretido é uma ocorrência comum em torno de fumarolas vulcânicas.

3. Efeito Leidenfrost


A maioria das pessoas sabe que a água evapora quando fica quente. Pessoas que tiveram a experiência de colocar água em uma superfície muito quente, no entanto, devem ter notado que, a tal temperatura superalta, a água se “senta” na superfície em forma de gota e leva muito mais tempo para evaporar. Este fenômeno é chamado de efeito Leidenfrost, e também pode fazer com que líquido se mova para cima, como no vídeo acima, feito por físicos da Universidade de Bath. Quando os líquidos entram em contato com uma superfície que é muito superior ao seu ponto de ebulição, uma camada isolante de vapor é criada. Esta camada impede o líquido de tocar diretamente a superfície e, portanto, de evaporar rapidamente. Isto é facilitado pelo fato de que o vapor tem baixa condutividade térmica, o que significa que a taxa de transferência de calor entre a superfície quente e a gota de água diminui dramaticamente.

2. Bola de neve natural


Um rolo de neve é um fenômeno no qual bolas naturais ou cilindros de neve aparecem espalhadas pela paisagem. Isso só ocorre quando a neve possui uma certa consistência, e de preferência em uma área montanhosa com bastante vento. Conforme o vento sopra a neve ao longo do chão, recolhe mais material e esculpe esses rolos de neve, da mesma forma que criamos os segmentos de um boneco de neve. Por causa das condições precisas necessárias para testemunhar esse fenômeno, é uma ocorrência muito rara. Para os rolos de neve se formarem, a neve diretamente sobre o solo precisa ser firme o suficiente para que nova neve, caindo do céu, não grude à ela. Essa neve solta, com ventos fortes e terras abertas, pode rolar e formar as bolas. Alternativamente, neve que cai de árvores localizadas em uma encosta íngreme podem tornar-se rolos de neve simplesmente por causa da gravidade.

1. La Brea Pitch Lake


La Brea Pitch Lake, em Trinidad e Tobago, é uma ocorrência bastante bizarra. O lago foi descoberto em 1595 e as pessoas imediatamente reconheceram a utilidade do alcatrão que escoava a partir dele, mas surpreendentemente pouca pesquisa foi feita sobre sua origem. Alguns cientistas acreditam que ele é a causa de duas falhas geológicas que se encontraram e forçaram o óleo das profundezas da Terra para cima, mas ninguém sabe ao certo. Períodos prolongados de contato com o ar à superfície permitem que os elementos mais leves do óleo evaporem, deixando asfalto para trás. O La Brea é o maior lago de piche no mundo e, como tal, é um grande recurso econômico ao povo de Trinidad e Tobago, que exporta tinta preta anticorrosiva, compostos isolantes, revestimento para veículos e muitos outros produtos. [Listverse]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *