Dando asas à informação

10 maneiras de ser expulso de um avião

Segurança de aeroporto já é uma coisa chata. O controle é enorme, mais do que em outros tipos de transporte. Depois do atentado de 11 de setembro, então, as regras pioraram – pelo menos nos EUA. Se você não segui-las, está fora do voo.

Ainda assim, existem maneiras muito estúpidas (e engraçadas) de ser expulso de um avião. Confira:

10. Usar calças largas

10
Não é invenção. Se a sua bunda estiver visível, você pode estar em apuros. Pelo menos foi o que aconteceu com Deshon Marman, um jogador de futebol americano da Universidade de Novo México (EUA), de 20 anos. Ele foi expulso de um voo depois de ter sido informado que seu vestuário estava revelando demais, conforme reportou a Associated Press. Marman foi embarcar em um voo da US Airways para Albuquerque quando um funcionário percebeu que sua calça “estava abaixo de suas nádegas, mas acima dos joelhos, e sua cueca boxer estava aparecendo”. Marman foi convidado a puxar as calças, mas recusou. Ele foi, então, convidado a sair do avião.

9. Estar doente

SARS Thai Airlines
Essa é uma regra muito simples. A tripulação do voo pode decidir se você está apto para voar ou não. Se você estiver realmente doente, fique em casa e não coloque a saúde de demais passageiros em risco – ou será, de fato, expulso do avião. Posso falar com segurança porque já vi isso acontecer: uma mãe e seu filho precisaram abandonar um voo entre Curitiba – Salvador porque ele possuía uma doença contagiosa, da qual ela não havia informado a tripulação.

8. Cantar Whitney Houston


Você não está em um episódio de Ídolos, você está em um avião. Cantar não uma opção, a não ser que você queira sair escoltada do aeroporto.

7. Fazer Harlem Shake


Você se lembra daquela mania irritante das pessoas de criar tantas versões quanto possível do vídeo que se tornou um meme, com a música “Harlem Shake”? Um vídeo que mostra passageiros de um voo da Frontier Airlines dançando o hit levou à abertura de uma investigação pela FAA (sigla em inglês para Administração Federal de Aviação) nos Estados Unidos, segundo a rede ABC News. A FAA apura se o vídeo foi gravado durante a decolagem ou aterrissagem, o que infringiria normas de segurança de aviação no país, ou se ocorreu sem o consentimento da Frontier Airlines. Os passageiros – o vídeo foi protagonizado por estudantes da Faculdade do Colorado – podem ser indiciados por ter interferido no trabalho dos atendentes de voo.

6. Ser muito gordo

Heavyweight Man Eating Funk Food
Algumas fontes americanas publicaram uma história sobre um homem que foi “humilhado” por causa de seu peso, e pretendia processar a companhia Southwest Airlines. Seja isso verdade ou não, voar é de fato humilhante para pessoas cima do peso, já que os assentos são projetados para tamanhos médios e as companhias no máximo oferecem a opção da compra de mais de um assento.

5. Transportar animais venenosos


Um checo foi pego voando com 247 animais vivos (incluindo serpentes venenosas) em um voo transatlântico em 2011. Nem precisamos dizer que essa foi considerada uma atitude que colocou em risco a segurança do voo.

4. Se passar por um inspetor da FAA

5
Se lembra da Administração Federal de Aviação? Esse é o órgão americano equivalente a nossa Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Nos EUA, qualquer passageiro tem o direito de pedir para ver o Certificado de Aeronavegabilidade dos aviões emitido pela FAA (o Brasil, é claro, também emite essa certificação de aeronaves, uma atividade necessária à segurança do transporte aéreo). Por lei, a tripulação é obrigada a tê-lo disponível para consulta. Os comissários de bordo nem sempre estão preparados para atender tal pedido, no entanto, já que há pouco conhecimento dessa lei. E, se você quiser exercer esse direito, corre o risco das pessoas lhe confundirem com um inspetor da FAA. Daí para ser descoberta sua verdadeira identidade para ser preso como terrorista não é muito difícil.

3. Ser “inapropriado”

3
No ano passado, um homem de 63 anos foi acusado de fazer mau uso do WiFi da Southwest Airlines. Ao que parece, ele estava assistindo filmes adultos, se é que você me entende, e se acariciando. Isso basicamente garante seu nome na lista dos “não voáveis”.

2. Qualquer coisa relacionada a bomba


Esse é um item óbvio, especialmente em voos nos EUA. Você não pode nem mencionar a palavra bomba. Acima, confira um trecho do filme de comédia “Entrando numa Fria”, em que o protagonista é detido por ter falado “bomba” no meio de um voo.

1. Atacar comissários de bordo e defecar no carrinho de comida

Romney Holds Campaign Rallies Across Florida Ahead Of Primary Day
Essa é a lendária história (verdadeira) do banqueiro Gerard B. Finneran. Em 1995, em um avião da United Airlines voando de Buenos Aires a Nova York, Finneran, um banqueiro de investimentos, ficou totalmente maluco. Os jornais relataram que, depois de ficar embriagado, Finneran exigiu mais álcool dos comissários de bordo. Quando eles se recusaram, ele começou a atacar o fornecimento de bebidas alcoólicas sozinho. Depois de ser cortado pela segunda vez, ele ficou visivelmente irritado e empurrou um comissário de bordo (crime federal nº 1), ameaçou verbalmente outro (crime federal nº 2), interferiu com um terceiro que estava ajudando um passageiro doente (crime federal nº 3), caminhou até a cabine da primeira classe, baixou as calças e defecou sobre um carrinho de serviço à vista dos passageiros e tripulantes. Em seguida, pisou em suas próprias fezes, arrastando-a através da cabine principal (crimes federais nºs 4, 5 e possivelmente 6). Finneran foi preso após o pouso em Nova York. Em seguida, se declarou culpado de agressão e foi condenado a dois anos de liberdade condicional. Além disso, recebeu 300 horas de serviço comunitário e uma multa US$ 5.000, além de ser condenado a pagar mais de US$ 50.000 em indenização à companhia aérea e reembolsar outros passageiros pelo preço dos seus bilhetes.[Jalopnik, UOL]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *