Dando asas à informação

12 aves exóticas incríveis

Tem animais que parecem de brinquedo, de tão diferentes e coloridos que são – é a natureza nos surpreendo mais uma vez. Confira 12 pássaros maravilhosos e seus habitats naturais:

1. Lório arco-íris

1

O lório arco-íris (Trichoglossus haematodus) é uma espécie de papagaio encontrada na Austrália, leste da Indonésia, Papua Nova Guiné, Nova Caledônia, Ilhas Salomão e Vanuatu. Na Austrália, é comum ao longo da costa leste. Seu habitat natural são florestas tropicais, florestas litorais e outras zonas florestais.

Várias aves tradicionalmente listadas como subespécies do lório arco-íris estão cada vez mais sendo consideradas espécies separadas. Pouca coisa distingue visualmente o macho da fêmea do lório, no entanto, para um observador atento à sua coloração e comportamento, o dimorfismo é facilmente perceptível.

2. Faisão dourado

2

Uma visão verdadeiramente magnífica, o faisão dourado ou chinês é outro tipo de ave que chama a atenção por sua exposição maravilhosa de cor. Estes pássaros nativos da China ocidental também são criados em outros países, como o Reino Unido, e são inegavelmente lindos com sua crista dourada e corpo vermelho brilhante.

Quando se exibem para atrair um companheiro, os machos abrem sua “capa” laranja, que cobrem tudo, exceto seu olho brilhante amarelo. Seu habitat natural são as florestas em áreas montanhosas do oeste da China, mas populações selvagens já foram estabelecidas em outros países.

3. Quetzal

3

O quetzal é um pássaro que muitos consideram o mais bonito do mundo. Estes animais de cores vibrantes vivem nas montanhas e florestas tropicais da América Central, onde comem frutas, insetos, lagartos e outras criaturas pequenas. Infelizmente, estas aves marcantes estão ameaçadas de extinção na Guatemala e outros países.

4. Poupa

4

O poupa, um pássaro colorido encontrado em toda Afro-Eurásia, é notável pela sua “coroa” distintiva de penas. É a única espécie existente da família Upupidae. Enquanto a espécie insular gigante de Santa Helena está extinta, as subespécies de Madagascar do poupa às vezes são elevadas a espécies diferentes. Os nomes dados à ave (em latim “upupa” e no inglês “hoopoe”) são formas onomatopaicas que imitam o grito do pássaro.

5. Aves-do-paraíso

5

As aves-do-paraíso são membros da família Paradisaeidae da ordem Passeriformes. A maioria das espécies desta família é encontrada na ilha de Nova Guiné e outras próximas, com algumas espécies vistas nas Molucas e leste da Austrália. É provável que você só as observe nas telas da TV ou do cinema, porém, porque elas vivem principalmente em habitats inacessíveis de densas florestas tropicais.

6. Papagaio-do-mar

6

O papagaio-do-mar (Fratercula arctica) é uma espécie de ave marinha pelágica que se alimenta principalmente através do mergulho para pegar peixes, mas também come outras criaturas do mar, como lulas e crustáceos. Sua característica mais evidente durante a época de reprodução é sua cor viva.

Essa é a única espécie de pinguins encontrada no Oceano Atlântico. Sua aparência curiosa, com um bico grande colorido e plumagem notável, tem dado origem a apelidos como “palhaço do oceano” e “galo do mar”.

7. Arara-azul-de-lear

7

Arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari), também conhecida como Arara Índigo, é um grande papagaio azul brasileiro membro de um grande grupo de papagaios neotropicais conhecido como araras.

A espécie foi descrita pela primeira vez por Charles Lucien Bonaparte em 1856. A arara-azul-de-lear tem 70 a 75 cm de comprimento e pesa cerca de 950 g. Suas penas são de um azul metálico com um toque fraco e muitas vezes pouco visível de verde, com uma mancha amarela no bico preto. Esta arara é rara.

8. Guarda-rios

8

Martim-pescador, martim, martim-grande, papa-peixe, pica-peixe, ariramba, urarirana e guarda-rios são todos nomes para uma ave que come principalmente peixes, usando seu bico eficaz para capturar e matar suas presas. De seu poleiro, geralmente cerca de 2 a 4 metros acima da água, elas mergulham e capturam peixes. Também comem caranguejos, insetos, sapos, ratos, lagartos e pássaros, junto com os seus ovos. As presas são geralmente trazidas de volta e comidas em seu poleiro.

Os guarda-rios costumam caçam perto de água doce e ao longo das costas e mangues. Raramente são encontrados perto de zonas urbanas.

9. Pavão

9

Pavões são faisões grandes e coloridos (normalmente azuis e verdes) conhecidos por suas caudas iridescentes. Estas penas da cauda são espalhadas de forma que compõem mais de 60% do comprimento total do corpo da ave e apresentam um colorido “olho” em tons de azul, dourado, vermelho e outros.

Essa cauda aberta é usada em rituais de acasalamento e exibições. Pode ser arqueada de uma forma magnífica que atinge toda a costa da ave e toca o chão de ambos os lados. Acredita-se que as fêmeas escolhem seus parceiros de acordo com o tamanho, qualidade e cor das lindas penas dessas caudas.

10. Cardeal

10

O cardeal macho é um pássaro lindo todo vermelho encontrado principalmente na América do Norte. Mesmo as fêmeas marrons possuem uma crista com detalhes em vermelho. Cardeais não migram nem perdem ou mudam de plumagem, de forma que ainda parecem fabulosos nos quintais das casas durante o inverno. No verão, seus apitos doces são um dos primeiros sons da manhã.

11. Condor-da-califórnia

11

O condor-da-califórnia (Gymnogyps californianus) é um abutre e o maior pássaro terrestre americano. Habita o norte do Arizona e sul de Utah, estados dos EUA, incluindo as regiões do Grand Canyon e do Parque Nacional Zion, as montanhas costeiras do centro e do sul da Califórnia, e o norte de Baja Califórnia. Embora outros membros fósseis sejam conhecidos, este é o único membro sobrevivente do gênero Gymnogyps.

12. Grou-coroado-oriental

12

Grou-coroado-oriental (Balearica regulorum) é uma ave da família Gruidae que habita a seca savana africana ao sul do Saara, embora faça ninhos em habitats um pouco mais úmidos. Esses pássaros também podem ser encontrados em pântanos, áreas cultivadas e planícies gramadas perto de rios e lagos do leste de Uganda e do Quênia à África do Sul.

Este animal não migra e só existem duas subespécies. O B. r. gibbericeps pode ser encontrado a partir do leste da República Democrática do Congo até Uganda, onde é a ave nacional, e do leste do Quênia à África do Sul. Ele tem uma área maior de pele vermelha facial acima da mancha branca do que a menor espécie B. r. regulorum, que se reproduz e é encontrada da Angola até à África do Sul.[Oddee]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *