Dando asas à informação

5 coisas erradas que seus pais lhe ensinaram sobre alimentação

Você ainda segue hábitos alimentares que seus pais lhe ensinaram décadas atrás? Chegou a hora de ver se esses conselhos têm alguma base de verdade, ou se são apenas “mitos de dieta”, transmitidos por gerações. Conheça cinco ideias ultrapassadas sobre alimentação, e a realidade sobre elas:

1 – “Não coma antes do almoço! Você vai estragar o seu apetite!”

Essa é famosa. Se você ouviu isso quando era criança, está na hora de saber que o pensamento sobre os “lanchinhos” evoluiu.

Fazer lanches pode ser saudável, desde que você escolha sabiamente o que comer. Comer mantém estáveis os níveis de açúcar no sangue e impede que você fique com muita fome entre as refeições.

Claro, você não pode simplesmente comer qualquer coisa, pois essas calorias contam. Assim, alguns tipos de lanches são melhores opções que outros.

A dica é tentar cortar um pouco nas refeições para permitir um ou dois lanches diários entre 100 e 200 calorias. Opções saudáveis incluem nozes, frutas, iogurte, legumes, etc. “Minha regra geral é: não fique mais do que quatro horas sem comer alguma coisa, seja uma refeição ou um lanche”, diz Constance Brown-Riggs, porta-voz da Academia de Nutrição e Dieta americana.

2 – “Só saia de casa quando seu prato estiver limpo”

Você cresceu ouvindo isso a cada jantar? Seus pais faziam você ficar na mesa até que tivesse terminado tudo no seu prato?

Não pense mais assim, pois você pode não estar atendendo sinais do seu corpo de que você já está cheio.

Não há problema em parar de comer. O importante é ficar em sintonia com seu corpo, e saber perceber sua fome. Você está cheio? Você está comendo apenas porque ainda há comida no seu prato? Então pare.

Seja particularmente cuidadoso quando estiver comendo fora de casa – a comida é atraente, os pratos são enormes, e você pode querer comer tudo, porque pagou pela comida. Se há grandes porções, peça apenas metade, ou leve o resto embora para comer depois, se quiser.

3 – “Não coma antes de se exercitar, você vai ter uma cãibra!”

Claro que você não deve sair para correr imediatamente após um banquete, mas comer algo pequeno e nutritivo de 30 a 60 minutos antes de se exercitar pode ajudá-lo a maximizar o seu treino.

“Você vai ter um rápido impulso de energia que otimizará a sessão de exercício”, diz Natalie DiGate Muth, porta-voz do Conselho Americano de Exercício.

Escolha um lanche rico em carboidratos, com baixo teor de gordura e de fibras, e com quantidades moderadas de proteína. Ele deve entre 100 e 300 calorias, como um copo de leite com chocolate, uma fatia de torrada com manteiga de amendoim, ou uma barra de granola. Frutas também são boas opções, embora não tenham muita proteína.

4 – ”Coma depressa, você está atrasado!”

Os seus pais fizeram você engolir seu café da manhã todas as manhãs para que você não perdesse o horário da escola?

Se você ainda come com pressa, pode não perceber as pistas de seu corpo que você já está cheio. “É preciso 20 minutos para o cérebro para registrar que você está satisfeito”, diz Brown-Riggs. “Se você come muito rápido, pode comer mais do que deveria”.

Faça um esforço consciente para comer devagar. Fazer intervalos entre mordidas também pode ajudar.

5 – “Você merece sobremesa hoje!”

Você pode ter aprendido este hábito quando criança, se você ganhava uma viagem para a sorveteria sempre que comia seus vegetais.

Sim, seus pais devem ter lhe prometido sobremesa como recompensa por comer seus brócolis ou outros vegetais. Eles tinham boas intenções, mas este é um “suborno” que envia uma mensagem errada: de que os vegetais não são atraentes por conta própria.

“Não devemos usar comida como recompensa”, diz Brown-Riggs. “As pessoas não comem porque estão com fome, e sim porque ‘merecem’ alguma coisa”.

Pare de usar alimentos como um prêmio. Em vez disso, recompense-se com um filme, uma manicure ou um telefonema a um amigo. “Em breve, você vai perceber que você não deve comer apenas porque você acha que merece alguma coisa”, explica.

Se os vegetais são o grupo de alimentos mais temido por você, é hora de ter um novo olhar sobre as opções.
Encontre vegetais que você gosta, e procure maneiras de prepará-los para que fiquem mais apetitosos. “A comida não deve ser um castigo”, diz Brown-Riggs.

Dê uma chance a alguns dos vegetais que você não gostava quando criança. Por exemplo, cozinhe couves de Bruxelas em um pouco de azeite em vez de fervê-las, ou frite brócolis. Eles podem ter um gosto muito melhor do que você se lembra de sua infância.[WebMD]

Um comentário

  1. Comment

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *