Dando asas à informação

8 razões pelas quais o século 18 era incrível

Quando pensamos no passado, temos a tendência de romantizá-lo ou abominá-lo (falta de higiene e de internet colaboram para tanto). Os velhos tempos apresentavam coisas muito ruins, como escravidão e completa falta de eletricidade, mas também havia muitas coisas impressionantes, como:

8. Assistência social

8

Assistência social, auxílio desemprego, previdência… Bolsas e ajudas do governo são encaradas com desconfiança ou mal aceitas em alguns países hoje. Mas este não foi sempre o caso: durante o século XVIII, o Parlamento Inglês aprovou três leis diferentes permitindo ajuda governamental para os desempregados.

E não eram “esmolas”: uma lei permitia que as pessoas pobres recebessem ajuda, desde que tentassem encontrar um emprego. Outra dava a igrejas a capacidade de obter ajuda federal para que pudessem alimentar e abrigar os pobres. Mas e se não houvesse nenhum trabalho para se conseguir? O governo pensou nisso também. Projetos de construção foram encomendados exclusivamente para gerar empregos para trabalhadores não qualificados que estavam sem oferta. Estes edifícios, chamado de “follies”, eram principalmente estéticos e alguns ainda estão de pé até hoje.

7. Educação em cafés

7

Vamos dizer que você quer aprender coisas interessantes na Europa do século XVIII. O único problema é que você não tem dinheiro. É fácil: vá a um café. No continente todo, principalmente em Londres, os “cafés” estavam em alta. Ao contrário dos hipsters que passam o dia todo nos cafés hoje, esses lugares antes atraíam intelectuais como professores ou estudantes de universidades como Oxford e Cambridge. Por um centavo, as pessoas podiam comprar uma xícara de café e ouvir essas grandes mentes discutirem qualquer campo do qual fossem peritas. Essencialmente, você podia obter gratuitamente palestras em todos os tipos de tópicos. Historiadores dizem que esses cafés levaram a um aumento maciço de alfabetização, o que também resultou em centenas de novos jornais em toda a Europa.

6. Atrações e entretenimento

6

Nos anos 1700, Londres era o lugar para se viver. A cidade recebia inúmeras atrações de circo todo ano e, embora alguns deles fossem peças habituais, como a “mulher barbada”, às vezes shows novos com animais insanos surgiam. O “Porco Sabido”, por exemplo, foi uma atração que estreou por volta de 1760. Era um porco treinado para fazer matemática, contar o tempo, jogar cartas e até mesmo ler o seu futuro. O animal foi um enorme sucesso, e inspirou uma série de imitações, incluindo um porco nos Estados que acabou sendo acusado de bruxaria e teve que “fugir”. Isso não é uma piada.

5. Óculos escuros

5

Você pode muito seguramente assumir que pessoas de centenas de anos atrás não usavam jeans e jaquetas de couro. Mas uma coisa que eles realmente usavam, curiosamente, era óculos de sol. James Ayscough inicialmente pensou que sua invenção poderia ser usada para fins de correção, como óculos normais. Apesar de ter percebido que tingir as lentes não corrigia exatamente a visão, seu produto acabou um sucesso de qualquer maneira. Os óculos de sol iniciais eram geralmente de cor azul ou verde, 100% mais legais do que os que temos hoje.

4. Bebidas gaseificadas

4

Falando de coisas legais que as pessoas faziam no passado, a primeira soda fabricada se encaixa neste perfil. Joseph Priestly foi o primeiro a inventar uma espécie de refrigerante misturando oxigênio e água. Como era um acadêmico, principalmente químico e filósofo, ele não capitalizou sobre sua invenção. Mas J.J. Schweppe, cujo nome você pode reconhecer da bebida Schweppes, fez exatamente isso. Seu negócio explodiu, e as pessoas consomem tal bebida desde então.

3. “Jardins de Prazer”

3

O século XVIII tinha parques reservados para fins de entretenimento, conhecidos como “Pleasure Gardens” (Jardins de Prazer, em português), que eram espécies de parques de diversão públicos inicialmente construídos para os muito ricos. Ao longo do tempo, entretanto, pessoas de todas as classes e etnias começaram a visitá-los, tornando-os alguns dos únicos lugares onde os ricos e pobres podiam se misturar sem atrito.

Esses jardins normalmente hospedavam palcos ao ar livre para shows e peças de teatro, bem como quiosques, lojas e zoológicos. Alguns na Rússia já tinham montanhas-russas reais, enquanto outros tiveram os primeiros carrosséis. Era possível encontrar até mesmo parques com haréns para a apreciação do público.

2. Feriados

2

Ao contrário do que ocorre hoje em dia, em que o Natal é associado a compras e confinado a um único dia, no século XVIII esse feriado levava os “12 dias de Natal” muito a sério. Festas, banquetes, presentes, jogos e outras atividades eram celebrados por 12 noites consecutivas, sem diminuição de intensidade. Claro, negócios só podiam fechar no dia 25, mas todo o período ainda era considerado um feriado oficial.

Como se isso não bastasse, a festa começava de novo em meados de janeiro em um feriado conhecido como “Noite de Reis”. Alguns dizem que a “Décima Segunda Noite” era um feriado ainda mais importante que o Natal. Curiosamente, neste feriado, as pessoas deveriam inverter a ordem normal, tornando-se uma espécie de “Dia da Oposição” sancionado pelo governo.

1. Cerveja abundante

1

A fim de coibir a embriaguez pública, o Parlamento Inglês aprovou no século XVIII a lei “Beerhouse Act”, que facilitava que qualquer um tivesse uma licença para vender cerveja, já que esta era baratíssima. Isto levou ao surgimento de muitas “cervejarias” (geralmente pessoas vendendo cerveja de suas varandas). Sem surpresa, os ingleses notaram que não podiam lutar contra uma epidemia de embriaguez tornando mais fácil para as pessoas ficarem bêbadas, então, eventualmente, aprovaram leis mais rigorosas.[Listverse]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *