Dando asas à informação

9 atrações turísticas intensas

Por Stephanie D’Ornelas

Muita gente pensa no turismo como uma atividade tranquila e sadia, onde a gente sai com roupas confortáveis, toma sorvete e tira fotos de tudo o que vê. Mas algumas pessoas buscam um pouco mais de adrenalina em suas viagens, e existem vários locais que atendem essa expectativa. Confira nove pontos turísticos mais “agitados” do que o habitual:

9 – A jaula da morte

A Austrália, lugar notável por sua vasta quantidade de bichos exóticos, usa seu potencial animal turisticamente. Na cidade de Darwin, no norte do país, um turista corajoso tem a oportunidade de mergulhar em um tanque de três metros de profundidade com óculos e roupas de natação. Em frente a ele, separados por uma parede de acrílico com apenas 4 centímetros de espessura, fica um enorme crocodilo de água salgada. O encontro cara a cara com os gigantesco animal dura 15 minutos.

Confira o passo-a-passo dessa aventura

8 – Penhasco para saltos na Noruega

Muita gente conhece o bungee jump, esporte em que o aventureiro salta preso por um elástico. Mas alguns turistas querem algo mais picante e saltam apenas com um paraquedas: é o BASE jumping. Na Noruega, há penhascos com vista para fantásticas paisagens, onde é possível praticar essa modalidade de salto. Quem não quer tanta adrenalina assim pode se contentar em tirar fotos, o que não deixa de ser intenso por si só.

Acompanhe um salto deste penhasco

7 – Macuco Safari

Aos pés do Rio Iguaçu, desembocando em uma queda de água que separa o Brasil e a Aregntina, está uma atração turística que muitos já visitaram, mas nem todos conhecem por completo. Ir até o mirante e tirar fotos das Cataratas do Iguaçu não são as únicas opções de passeio para quem visita o local.

Quem estiver disposto a pagar um pouco mais pode fazer algo diferente. Primeiro, embarca em um jipe que passa pelo interior do Parque do Iguaçu e dá ao visitante a chance de ver bem de perto a fauna e a flora da região. Depois, todos podem embarcar em um bote que passa ao largo do rio, por entre as cataratas, e para praticamente embaixo delas. Uma nota triste: no ano passado, dois turistas morreram e outros sete ficaram feridos quando o bote bateu em uma pedra e virou sob a Garganta do Diabo, a maior das quedas d’água do Iguaçu.

Veja como é o passeio

6 – Caminhada na beirada da CN Tower

A segunda maior torre do mundo mede 553 metros e está localizada em Toronto, no Canadá. Embora seja um prédio de comunicações, mantido por uma companhia do governo, ela é usada desde agosto do ano passado para uma excitante modalidade de turismo. No principal anel da torre, a uma altura de 356 metros, seis visitantes por vez podem andar 150 metros pelas beiradas da CN Tower, com as mãos livres e presas apenas a um cabo. Turistas de 13 a 90 anos já experimentaram a sensação.

Observe um grupo de turistas no alto da torre

5 – Vulcão Bungee

Vulcões não parecem ser o melhor lugar do mundo para se fazer turismo, mas existe um lugar no Chile que oferece essa opção. Perto da cidade de Pucón, localizada no centro-sul do Chile, existe um vulcão especialmente desenhado para quem deseja se atirar de um helicóptero e cair dentro da garganta, com lava no fundo, preso apenas por um elástico nos pés. É o vulcão do Bungee Jump, parte de um pacote que custa 10 mil dólares (cerca de R$ 17,3 mil, na conversão atual) para cada louco que decide fazer este turismo.

Sinta a emoção de um bungee jump de vulcão

4 – El caminito Del Rey

Medo de altura é o único quesito que pode impedir um turista de experimentar esse passeio no sul da Espanha. Desde 1905, quando o caminho foi construído para as pessoas transitarem entre duas usinas hidroelétricas, você pode sentir o gosto de andar a mais de cem metros de altura acima de um rio. Em 2000, dois turistas morreram em um acidente, o que levou o local a uma reforma que possibilitou mais segurança.

Observe a vista do alto do Caminito Del Rey

3 – Caiaque com baleias

Dependendo do lugar, andar de caiaque pode ser uma atividade tranquila e terapêutica; você pode simplesmente remar até um ponto de águas calmas e apreciar a paisagem. No Alasca, você pode remar pelo oceano em companhia de baleias, vê-las a pouquíssimos metros de distância e tirar fotos. Embora elas não costumem fazer mal a humanos, não deixa de ser um pouco assustador ver esses gigantescos mamíferos marinhos tão próximos do seu barco.

Confira como é remar lado a lado com baleias no Alasca

2 – Zorbing

A Nova Zelândia não é conhecida apenas pelos saltos de bungee jump. Lá também se pratica o Zorbing, um esporte que surgiu nos anos 80 e se aprimorou no começo da década passada. O praticante salta de um declive dentro de uma grande bolha de PVC, e dessa maneira rola montanha abaixo. Os mais suaves praticam o esporte em uma superfície plana, mas os mais radicais já rolaram por terrenos acidentados onde o risco de se machucar é maior. Mas a adrenalina é grande mesmo em terrenos lisos, devido à alta velocidade que o “veículo” alcança.

Veja um praticante de Zorbing em ação

1 – Mergulho à Corveta Ipiranga

O paradisíaco arquipélago de Fernando de Noronha, a 540 quilômetros do litoral pernambucano, guarda um interessante capítulo da história naval brasileira. No ano de 1983, a Corveta Ipiranga, embarcação com mais de 50 metros de comprimento, naufragou após um acidente e foi parar a 62 metros de profundidade. Hoje, é um navio naufragado visitado por centenas de mergulhadores todos os anos.

Os visitantes podem alcançar o navio e visitar as instalações afundadas, desde os banheiros até a cabine de comando. [Oddee]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *