Dando asas à informação

9 cidades ou vilas muito estranhas do mundo todo

Se você acha que a cidade onde você mora é entediante, perigosa ou chata, pense que ela pelo menos não te obriga a usar uma máscara de gás, nem tem mais moradores mortos do que vivos.

Confira nove cidades bizarras do mundo todo:

1. Kowloon Walled City

1

Apesar de Kowloon Walled City, em Hong Kong, ter sido demolida em 1994, acredita-se que foi o local com a maior densidade populacional de seres humanos do planeta. Com apenas 6,5 hectares, entre 33.000 a 50.000 pessoas viviam dentro de suas paredes.

Fundada como uma fortaleza militar chinesa durante a década de 1600, o forte foi cedido aos britânicos em 1898. Após a Segunda Guerra Mundial, a China anunciou a sua intenção de recuperar a cidade murada. Em 1947, havia 2.000 pessoas morando ali. Os britânicos falharam em suas tentativas de removê-los e deixaram a fortaleza em paz.
Na década de 1950, com ambos chineses e britânicos adotando uma política de “seja o que Deus quiser” em relação ao local, Kowloon tornou-se um paraíso para o crime e drogas.

Só no início dos anos 80 que a criminalidade em Kowloon ficou sob controle. Nas décadas anteriores, houve um aumento na construção civil no local. Moradores ergueram suas asas onde e como queriam, ignorando códigos de segurança. Dentro dos edifícios, uma variedade de pequenos negócios floresceu.

Foi então que funcionários britânicos e chineses decidiram que as condições de vida em Kowloon eram intoleráveis e iriam demolir os edifícios. Muitos moradores protestaram, mas o governo gastou 2,7 bilhões dólares de Hong Kong em compensações e evacuações, que começaram em 1991 e foram concluídas em 1992.

2. The Villages

2
Bem-vindo ao The Villages, a maior comunidade fechada de aposentados do mundo, lar de mais de 100.000 pessoas com mais de 55 anos de idade nos EUA. Lá, há mais carrinhos de golfe do que carros, e crianças não são permitidas.
Parece a comunidade de aposentados perfeita, certo? Bem, logo abaixo dessa superfície de tranquilidade, reside o escândalo. O lugar tem visto um grande aumento de doenças sexualmente transmissíveis.

Apesar do fato de que a comunidade dispõe de 34 campos de golfe, nove clubes, duas praças e uma série de restaurantes e bares, “se dar bem” é um dos passatempos primários dos moradores. Extraoficialmente chamada de “Disney World para Idosos”, há 10 mulheres para cada homem e um mercado negro de Viagra no The Villages.

O lado decadente da comunidade foi colocado no centro das atenções em 2014, quando Peggy Klemm, 68 anos, foi presa por indecência pública e embriaguez depois de supostamente fazer amor com David Bobilya, 49 anos, em uma praça pública.

3. Manshiyat Nasser

3
A cidade do Cairo nunca estabeleceu um sistema de coleta de lixo eficiente. Em vez disso, os moradores de Manshiyat Nasser preencheram esse vazio com sucesso por 70 anos.

Esta cidade favela é notável por ter cada centímetro quadrado coberto de lixo. Lar de 60 mil habitantes, os catadores informais, conhecidos como Zabbaleen, recolhem o lixo dos moradores do Cairo em um serviço porta-a-porta antes de transportá-lo através de carroças puxadas por burros ou caminhões para suas casas em Manshiyat Nasser. Lá, eles separaram os materiais recicláveis com uma taxa de sucesso de 90%, o que é quatro vezes maior que a taxa de empresas de reciclagem ocidentais.

A vida dos habitantes de Manshiyat Nasser mudou significativamente em 2003, quando o governo de Cairo contratou empresas privadas para a eliminação de lixo. Além disso, em 2009, em uma medida preventiva contra a gripe suína, o governo ordenou o abate de todos os 350 mil porcos da cidade favela. Os porcos eram importantes para os Zabbaleen, uma vez que limpavam todos os resíduos orgânicos do lixo que não era reciclável.

4. Lily Dale

4
O povoado de Lily Dale, nos EUA, abriga a maior comunidade espírita do mundo. Enquanto a população do local é de meros 275 habitantes, a cada ano cerca de 22.000 a 25.000 visitantes passam pela cidade para fazer aulas, oficinas, atender serviços religiosos públicos, manifestações mediúnicas, palestras e consultas privadas com médiuns.

Como a maioria das cidades, Lily Dale tem uma estação de correios, bombeiros voluntários, biblioteca e um parque infantil. Há um café, dois restaurantes, lojas de presentes, um punhado de pousadas e um museu. Nos últimos 135 anos, a cidade também tem sido o lar da Assembleia Espírita Lily Dale, uma organização religiosa de curandeiros e médiuns que pretendem transmitir mensagens de quem já faleceu para aqueles que ainda vivem no plano terreno.

5. Ilha Miyake-jima

5
Desde a erupção do Monte Oyama em 2000, a quilômetros ao sul de Tóquio, os 2.800 moradores da Ilha Miyake-jima são obrigados a ter uma máscara de gás com eles a todos os momentos, embora não precisem usá-la constantemente. Os moradores são alertados se há um aumento de gás nocivo por sirenes, para então colocá-las.

Monte Oyama foi um vulcão ativo durante a maior parte do século 20. Um fluxo de lava em 1940 matou 11 pessoas e outras erupções ocorreram em 1962 e 1983. A mais mortífera, no entanto, aconteceu no verão de 2000, com 10.000 a 20.000 toneladas de dióxido sulfúrico sendo liberados diariamente, o que tornou a ilha inabitável. Em setembro daquele ano, o governo forçou a evacuação de todos os moradores.

Cinco anos depois, com a ordem de evacuação retirada, as pessoas começaram a se mudar de volta para casa. Apesar da repopulação da ilha, cerca de um terço de Miyake-jima está permanentemente fora dos limites. O governo realiza exames de saúde regulares sobre os moradores e impõe restrições de idade em determinadas áreas.

Devido à forma incomum e interessante de vida na ilha, Miyake-jima tem gerado um comércio turístico lucrativo.

6. Slab City

6
Quer realmente ficar longe de tudo? Enquanto não há placas que te levem à Slab City, se você dirigir a leste de Los Angeles em direção ao deserto, você vai encontrar uma base da Marinha abandonada que viajantes e moradores têm apelidado de “O Único Lugar Livre da América”.

Slab City é um parque de campismo habitado por milhares de turistas durante os meses de inverno, antes deles partirem para climas mais frios, quando as temperaturas altas do verão chegam. Ainda assim, 150 moradores ficam por lá o ano todo, alguns vivendo com subsídios governamentais.

A cidade recebeu esse nome por causa das placas de concreto (“slabs”) que pontilham a região. Elas são o que restou de Camp Dunlap, uma antiga base da Segunda Guerra Mundial. A terra é do governo, mas os moradores da região são considerados posseiros e deixados em paz. No entanto, lá não há água corrente, eletricidade, esgotos, instalações sanitárias ou coletas de lixo. Campistas trazem e usam sua própria água e geradores.

7. Coober Pedy

7
Coober Pedy (o nome vem do termo aborígene local, kupa-piti, que significa “buraco do homem branco”) situa-se no interior da Austrália, cerca de 846 quilômetros ao norte de Adelaide.

A cidade foi fundada em 1915 após a descoberta de opala na região. Pessoas de todos os lugares foram para lá para ficarem ricas com as minas, mas logo começaram a se incomodar com as altas temperaturas do deserto.
Devido ao clima inóspito, os moradores preferem viver em cavernas nas encostas (“dugouts”), que permanecem a uma temperatura constante, do que acima do solo. Algumas residências são tão grandes quanto mansões, cobrindo 450 metros quadrados. Há igrejas subterrâneas, lojas, galerias e até um hotel, Desert Cave Hotel, o primeiro hotel subterrâneo de luxo de 4 estrelas do mundo.

Coober Pedy é também um local favorito para cineastas e tem sido destaque em filmes como Até o Fim do Mundo e Priscilla, a Rainha do Deserto.

8. Chefchaouen

8
Chefchaouen é uma das mais bonitas cidades do nordeste do Marrocos. Ótimo local turístico com acomodações a preços acessíveis, a cidade é o cenário das montanhas Rif e a maioria de suas ruas e edifícios da parte antiga são pintadas com uma magnífica tonalidade azul, o que foi feito por refugiados judeus que viviam ali durante os anos 1930.

A cidade é popular por causa de sua proximidade a Tânger e ao enclave espanhol de Ceuta. Há mais de duas centenas de hotéis na área que servem turistas europeus. Outra razão para a enorme popularidade de Chefchaouen é que ela é um centro de produção de haxixe no Marrocos.

9. Colma

9
Colma, na Califórnia, tornou-se uma necrópole após San Francisco aprovar uma lei em 1900 proibindo qualquer nova construção de cemitérios dentro dos limites da cidade. Sem enterros permitidos, os cemitérios foram logo abandonados e tornaram-se um perigo para a saúde. Uma segunda lei foi aprovada em 1912 para “expulsar” todos os cemitérios existentes na cidade. Avisos de remoção foram enviados a todos os locais e o último dos corpos foi tirado de San Francisco em 1937.

A cidade de Lawndale foi constituída em 1924, depois de a Associação dos Cemitérios se unir para garantir que a mesma coisa não acontecesse novamente. Lawndale se tornou Colma em 1941.

Colma tem 17 cemitérios e é a menor cidade do condado de San Mateo. Em 2010, Colma era o lar de cerca de 1.800 pessoas acima do solo e 1,5 milhões no subsolo. Por ter mais moradores mortos do que vivos, a cidade ganhou apelidos mórbidos, como “Cidade das Almas” e “Cidade do Silêncio”. [Oddee]

Um comentário

  1. Adorei…

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *