Dando asas à informação

9 fascinantes descobertas de múmias

De crianças incas sacrificadas a múmias egípcias com ferramentas de remoção de cérebro, veja descobertas incríveis feitas em todos os cantos do mundo:

1. Múmia de 700 anos na China

1
Uma múmia de 700 anos de idade em excelente estado de conservação foi descoberta por trabalhadores no leste da China. Acredita-se que é o cadáver de uma mulher de alto escalão da Dinastia Ming, o poder dominante no país entre 1368 e 1644.

Ela foi encontrada por uma equipe de construção que estava expandindo a rua (outros relatos também indicam que estavam construindo uma loja da Ikea e prejudicaram a escavação do local arqueológico).

A múmia, que foi encontrada na cidade de Taizhou, na província de Jiangsu, juntamente com outras duas tumbas de madeira, oferece uma visão fascinante sobre a vida daquela época. Descoberta dois metros abaixo da superfície da estrada, a mulher praticamente manteve sua condição original e quase não se deteriorou. A boa condição da pele, cabelo, cílios e face fazia parecer que ela tinha falecido recentemente.

2. Crianças incas sacrificadas

2
Três crianças incas foram sepultadas em uma montanha sombria e gelada há 500 anos, como parte de um sacrifício religioso. Descobertos em 1999 no cume do Monte Llullaillaco, um vulcão perto da fronteira com o Chile, seus corpos congelados estão entre as múmias melhor preservadas já encontradas, com órgãos internos intactos, sangue ainda presente no coração e pulmões, e pele quase ilesa. Nenhum esforço especial foi feito para preservá-las. O frio e o ar seco do local fez todo o trabalho. Elas congelaram até a morte enquanto dormiam, e 500 anos depois, ainda pareciam crianças dormindo.

As crianças foram sacrificadas como parte de um ritual religioso conhecido como Capacocha. Eles caminharam centenas de quilômetros a partir de cerimônias em Cuzco e foram levados até o cume do Llullaillaco, onde receberam chicha (cerveja de milho). Uma vez que estavam dormindo, foram colocados em nichos subterrâneos, onde congelaram até a morte. Apenas crianças fisicamente perfeitas eram sacrificadas, e era uma honra ser escolhido. De acordo com as crenças incas, as crianças não morriam, mas se juntavam a seus antepassados e vigiavam suas aldeias a partir das montanhas como anjos.

3. Rosalia Lombardo

3
Rosalia Lombardo (1918 – 1920) era uma criança italiana que morreu de gripe. O pai de Rosalia, General Lombardo, ficou extremamente triste com sua morte, e pediu a Alfredo Salafia, um embalsamador, para preservá-la. Seu corpo foi um dos últimos a ser admitidos nas Catacumbas dos Capuchinhos de Palermo, na Sicília.

Graças às técnicas de embalsamamento de Salafia, o corpo está bem conservado. Raios-X mostram que todos os órgãos estão notavelmente intactos. O corpo de Rosalia é mantido em uma pequena capela no final da catacumba e está envolto em um caixão coberto de vidro localizado em um pedestal de mármore.

4. Múmia egípcia com ferramenta de remoção do cérebro

4
Em 2012, uma ferramenta de remoção do cérebro usada pelos antigos embalsamadores egípcios foi descoberta alojada no crânio de uma múmia feminina que remonta a cerca de 2.400 anos.

Identificar as ferramentas antigas que embalsamadores egípcios utilizavam é difícil, e pesquisadores dizem que esta é apenas a segunda vez que tal instrumento tem sido relatado no crânio de uma múmia. Ele estava localizado entre o osso parietal esquerdo e a parte posterior do crânio, que tinha sido enchida com resina.

5. Múmia descoberta por menino de 10 anos

5
Um menino alemão descobriu o que parecia ser uma múmia egípcia enfaixada dentro de uma caixa de madeira velha no sótão da casa de sua avó.

Os especialistas estão investigando se a “múmia” é uma verdadeira relíquia egípcia, uma réplica ou algo completamente diferente. Ela estava dentro de um sarcófago com uma máscara mortuária, uma canopo – usado pelos antigos egípcios para armazenar órgãos removidos – e outros artefatos. Alexander, 10 anos, fez a descoberta enquanto vasculhava o apartamento de sua avó em Diepholz, Alemanha.

O pai de Alexander, Wolfgang Lutz Kettler, um dentista, lembrou que seu pai havia adquirido um peito de múmia enquanto viajava no norte da África na década de 1950. Aparentemente, ele nunca mais tinha falado sobre o peito ou o seu conteúdo. Partes de múmia eram populares entre certos elementos da alta sociedade alemã na década de 1950, segundo Wolfgang.

6. Múmia egípcia com vestes romanas

6
“Vestida” com roupas romanas, uma múmia de 2.000 anos de idade foi encontrada em um túmulo egípcio raro no oásis de Bahariya, a cerca de 362 quilômetros a sudoeste do Cairo. Em 12 de abril de 2010, as autoridades egípcias anunciaram que o sarcófago estava entre os antigos tesouros recém-descobertos em um cemitério.

O local contém pelo menos 14 túmulos da época em que a Roma antiga controlava o Egito, de 30 aC a 395 dC. Joias, máscaras funerárias e cerâmica também foram encontradas, embora os túmulos cobertos de areia estivessem danificados pela umidade e infiltração de águas subterrâneas.

Medindo apenas 97 centímetros de comprimento e esculpida com a elegância de uma mulher influente, o sarcófago permanece um mistério. “Quando eu o vi pela primeira vez, pensei que era uma anã”, disse Mahmoud Affifi, do Conselho Supremo de Antiguidades do Egito. “Talvez ela fosse uma menina pequena, mas até agora não sabemos”.

7. Europeu de 2.000 anos encontrado na China

7
Uma descoberta surpreendente de múmias de 2.000 anos de idade na bacia de Tarim, China ocidental, ocorreu no início dos anos 90. No entanto, mais surpreendente do que a própria descoberta foi o fato de que as múmias tinham cabelos loiros e nariz comprido. Em 1993, o professor universitário Victor Mayer coletou DNA dos esqueletos e seus testes indicaram que os corpos eram todos europeus. Antigos textos chineses do primeiro milênio antes de Cristo mencionam grupos de pessoas caucasianas que habitavam o extremo leste, referidos como o Bai, Yeuzhi e Tocharians. Nenhum, no entanto, revela totalmente como ou por que essas pessoas acabaram lá.

8. Múmia de El Plomo

8
“La Momia del Cerro El Plomo” é uma múmia encontrada em Cerro El Plomo em 1954. Foi a primeira descoberta de restos bem preservados de uma criança inca congelada, por conta de sacrifício humano em alta altitude. A múmia é comissariada pelo Museu Nacional de História Natural em Santiago, Chile, e uma réplica está em exposição pública.

9. Mais múmias de crianças incas

9
Os arqueólogos acreditam que muitas múmias incas, incluindo as de crianças, eram sacrifícios humanos ao deus da montanha, Apus. [Oddee]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *