Dando asas à informação

Anti-matéria: novo mistério intriga cientistas

Os físicos deram um passo a mais em seus esforços para entender porque o universo é dominado pela matéria, e não por sua companheira, a anti-matéria.

Um experimento mostrou que certas partículas de matéria deterioram-se de maneira diferente de seus pares de anti-matéria. Essas diferenças poderiam explicar porque existe muito mais matéria do que anti-matéria no cosmos.

Os físicos pensam que um intenso calor do Big Bang forjou quantidades iguais de matéria e anti-matéria, apesar de hoje vivermos em um universo dominado pela primeira.

A anti-matéria é relativamente incomum, sendo produzida em aceleradores de partículas, reações nucleares e raios cósmicos. Chegar ao local onde toda essa anti-matéria está permanece um dos grandes desafios da física de partículas.

Aceleradores de partículas têm observado o processo com o qual partículas subatômicas, chamadas de mésons, decaem – ou se transformam – em outras. Por exemplo, os mésons são formados por quarks, e podem decair em kaons e píons.

O nosso melhor entendimento atual da física, o Modelo Padrão, sugere que as complicadas cascatas dos mésons, transformando-se em outras partículas, deveriam ser pelo menos quase iguais ao decaimento de uma cadeia similar de anti-matéria (com uma diferença de menos de 0,1%).

Mas uma equipe anunciou uma diferença de cerca de 0,8%, e outra apresentou uma de 0,62%.

Quando os dois resultados são combinados, a chance da observação ser apenas algum erro nos dados é de um em 16 mil.

Tara Shears, física da Universidade de Liverpool, que trabalhou no experimento do Grande Colisor de Hádrons, comenta: “Nós não sabemos ainda se estamos vendo os primeiros sinais de uma nova física, ou se estamos entendendo melhor o Modelo Padrão. O que vimos é um fragmento que vale a pena ser estudado”.

Giovanni Punzi pensa parecido. “Esse efeito é definitivamente muito maior do que algo previsto. Por isso vai haver discussões entre os teóricos, perguntando: ‘Isso é uma nova física, ou fizemos os cálculos errados?’”.

A dominância da matéria no universo só é possível se existirem diferenças no comportamento das partículas e das suas anti-partículas.

Os cientistas já viram essas diferenças, mas elas ainda são muito pequenas para explicar porque o cosmos prefere a matéria.

Outro experimento também mostrou uma assimetria significativa da matéria sobre a anti-matéria. Em junho de 2010, físicos do Tevatron afirmaram ter visto uma diferença de 1% entre a produção de pares múons (matéria) e pares de anti-múons (anti-matéria). [BBC]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *