Dando asas à informação

Como o Polo Norte se tornou parte da história do Papai Noel

letters_north_pole_santa

O Natal está chegando, e crianças de todo o mundo estão preparando suas cartas para enviar ao Papai Noel, endereçadas ao Polo Norte. Todas querem presentes, em troca de bom comportamento.

Mas por que a sede do Papai Noel é no Polo Norte? Por que é um lugar mágico, repleto de frio ártico, duendes, renas de nariz vermelho e uma oficina de brinquedos?

Como esse mito surgiu?

São Nicolau

As origens do Papai Noel podem ser rastreadas até São Nicolau de Mira, um santo do século IV que não vivia no Polo Norte, mas em uma cidade romana que ficava na região da Turquia.

São Nicolau tinha fortes crenças nos princípios do cristianismo e gostava de dar presentes. Sua generosidade o tornou famoso, especialmente entre os marinheiros, que espalharam a história de sua bondade por todo o mundo, dando esperança aos necessitados.

O desenho de Thomas Nast

São Nicolau virou a figura do Papai Noel, mas essa figura foi se transformando. No começo, era mais parecida com um santo do que com um bom velhinho.

Desenho russo de 1294

Desenho russo de 1294

A mudança da Turquia para o Ártico é creditada ao cartunista americano de origem alemã Thomas Nast. Nast apresentou um total de 33 desenhos alusivos ao Natal entre 1863 a 1886, para a revista Harper’s Weekly.

Na edição de dezembro de 1866, Nast criou a primeira versão mais robusta e alegre do Papai Noel.

Antes do design de Nast, esse personagem era mostrado em muitas formas diferentes. Mas depois que ele criou a oficina de brinquedos e o grande livro de crianças que tinham sido boazinhas ou não, a história pegou.

O Papai Noel mítico

A ilustração de Nast do Polo Norte é parte da lenda que todos nós conhecemos hoje. As crianças adoraram as suas imagens e se envolveram com essas fantasias.

Desenho de Thomas Nast de 1880

Desenho de Thomas Nast de 1880

O cartunista só escolheu colocar o Papai Noel lá porque durante a década de 1840 e 1850 houve várias expedições ao Ártico, que ganharam a atenção da mídia em todo o mundo.

O Ártico havia se tornado um local famoso e lendário, onde nevava durante todo o ano. No hemisfério norte, o Natal ocorre durante o inverno, então Nast achou legal ligar a criatura, sempre associada com o frio, ao Polo Norte.

Como sabíamos muito pouco sobre a região, o Polo Norte era tanto uma fantasia quanto o São Nicolau, já que ninguém tinha a pretensão de conquistar a área até 1909, quando Robert Peary explorou o local.

Até então, ninguém sabia o que o Polo Norte escondia, então por que não poderia ser o Papai Noel e sua rena?

Outras contribuições

Embora Nast tenha sido responsável por criar várias características que atribuímos ao Papai Noel hoje, ele teve ajuda. As renas já existiam desde um poema de 1823 de Clement C. Moore, por exemplo. Foi bastante fácil para Nast ambientar o bom velhinho no Polo Norte, já que renas vivem em lugares frios, como a Finlândia, e poderiam sobreviver no terreno congelado do Ártico.

A história americana do Papai Noel, portanto, é profundamente enraizada em fatos reais, mitos e invenções originadas no hemisfério norte. [Mashable]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *