Dando asas à informação

Estudante de 14 anos descobre como fazer os EUA economizarem US$ 400 milhões

Suvir-Mirchandani-550x330

Suvir Mirchandani, um estudante de 14 anos de Pittsburg (EUA), conseguiu o que os especialistas financeiros têm tentado por décadas – reduzir substancialmente os gastos do governo americano. Quanto é “substancialmente”, você pergunta? US$ 400 milhões, cerca de R$ 902 milhões no câmbio atual.

Para economizar todo esse dinheiro, Suvir sugeriu que o governo dos EUA simplesmente mudassem sua fonte, de Times New Roman para Garamond, ao imprimir documentos oficiais. Como cada letra impressa é mais leve e fina com Garamond, a fonte usa 25% menos tinta.

Suvir teve a brilhante ideia enquanto trabalhava em um projeto de feira de ciências em sua escola. Ele estava procurando uma maneira de usar informática para promover a sustentabilidade ambiental. Depois de muita pesquisa, ele decidiu descobrir se havia uma maneira minimizar o uso de papel e tinta. “Tinta é duas vezes mais cara do que perfume francês em volume”, disse o jovem. Então, ele coletou amostras aleatórias de apostilas em sua escola e estudou as letras mais usadas: E, T, O, A e R.

O estudo incluiu quatro fontes diferentes: Garamond, Century Gothic, Times New Roman e Comic Sans. Suvir mediu quantas vezes as letras foram usadas em cada uma dessas fontes, e usou uma ferramenta comercial chamada APFill para descobrir a quantidade de tinta utilizada para cada letra.

Em seguida, imprimiu versões grandes das letras, e as pesou para verificar os dados (em três tentativas diferentes). Os resultados da análise foram surpreendentes – ele descobriu que traços mais finos da Garamond poderiam ajudar sua escola a reduzir o consumo de tinta por 24%, economizando cerca de US$ 21.000 por ano (R$ 47 mil).

A professora de Suvir ficou impressionada com seu trabalho e incentivou-o a publicar suas descobertas. O Jornal de Investigadores Emergentes (JEI, na sigla em inglês), fundado por estudantes de graduação de Harvard em 2011, aceitou o artigo.

Quando os revisores do JEI leram o estudo, perceberam que os resultados foram claros, simples e bem pensados, e começaram a se perguntar sobre o potencial de poupança em uma escala maior – a federal.

Suvir então começou a analisar páginas de amostra de documentos oficiais, e o resultado foi o mesmo, só que com números incompreensíveis – as despesas de impressão anual dos governos dos EUA (estadual e federal), de US$ 1,8 bilhões (R$ 4 bi), poderiam ser reduzidas por significativos US$ 400 milhões.

Então, o que o governo americano está esperando? Segundo Gary Somerset, relações públicas do Government Printing Office (Escritório de Impressão do Governo americano), o trabalho de Suvir foi notável, mas não é possível comprometer-se a mudar o tipo de fonte oficial. Ele vai concentrar os esforços do escritório em mudar mais conteúdo para a web. “Em 1994, estávamos produzindo 20 mil exemplares por dia. Vinte anos depois, nós produzimos aproximadamente 2.500 cópias impressas por dia”, disse. Gary também apontou que o escritório usa papel reciclado para toda a sua impressão.

Claro, o projeto do jovem Suvir poderia cortar muito mais custos. Mas o garoto entende que coisas como essas não mudam durante a noite. “Eu definitivamente gostaria de ver algumas mudanças reais e ficaria feliz em fazer o possível para viabilizá-las. Os consumidores que imprimem em casa podem fazer essa alteração também”, diz.
Então, antes de imprimir qualquer coisa, lembre-se de mudar a fonte para Garamond, primeiro. [OddityCentral]

Um comentário

  1. Comment

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *