Dando asas à informação

Homem cria “Perambulador Aquático”, um carrinho que deixa você levar seu peixe para passear

aquatic-perambulator2-550x326

Há sete anos, quando Mike Warren-Madden ficou preocupado que seu animal de estimação, o peixe Malcolm, estava ficando entediado, ele decidiu construir um dispositivo que lhe deixasse levar o bicho para passear.

Por trabalhar anteriormente com chapas metálicas, Mike resolveu usar metal como o material para criar o “Perambulador Aquático” (no original em inglês, “Aquatic Perambulator”). Ele passou semanas desenhando e projetando o meio de transporte que ajudou Malcolm a viver uma vida mais emocionante.

O animal já morreu, mas provavelmente foi o peixe de aquário mais aventureiro de todos os tempos.

O dispositivo tem cerca de 1,22 metros de altura e é feito de aço carbono cortado a laser. Mike passou os últimos anos melhorando-o, já que o projeto inicial não levava em conta o peso da água. O aposentado de 60 anos modificou o carrinho várias vezes ao longo do tempo. “Eu adicionei mais elasticidade para levar em conta o choque da água e espero obter melhores rodas”, disse.

aquatic-perambulator-550x412

Por causa da sua experiência prévia, Mike foi capaz de construir o aparelho a baixo custo. No entanto, sairia caro reproduzir o perambulador de peixes. No futuro, ele gostaria de motorizar o veículo e de encontrar um empresário que investisse na engenhoca para que pudesse ser produzida em massa.

Com o carrinho, Mike levou Malcolm em caminhadas pela cidade diversas vezes. “De vez em quando parávamos o tráfego. Não é todo dia que você vê alguém levando um peixe para passear”, conta. “Se um peixe fica em um aquário nadando em círculos em uma prateleira deve ficar entediado. Eu decidi que seria divertido levá-lo comigo até o pub”.

Se você acha que isso tudo é loucura, talvez o estilo de vida ativo realmente tenha ajudado Malcolm, porque o peixe viveu até a idade avançada de 12 anos.

Eu sei o que você está pensando (porque eu também já pensei isso): que o peixe provavelmente não tinha ideia de que estava sendo levado para passear. Para os críticos, Mike só tem uma pergunta: “Como você sabe?”.

É, não sabemos. Se mal não fizer, não custa levar seu peixe para dar uma volta, não? [OddityCentral]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *