Dando asas à informação

Homem que só come insetos já experimentou 5.000 espécies diferentes nos últimos 11 anos

KONICA MINOLTA DIGITAL CAMERA

David Gracer é um entomófogo (entomofagia é a prática de comer insetos), o que significa que consome insetos para o seu sustento e por seu sabor. Durante os últimos 11 anos, ele afirma que já experimentou bichos rastejantes de 5.000 espécies diferentes.

Comer insetos pode parecer repugnante para muitas pessoas, mas a humanidade faz isso desde a sua existência. Os gregos e os romanos amavam insetos, e muitas culturas ao longo da Ásia, da África e das Américas usam insetos para se alimentar.

Estima-se que mais de metade da população do mundo coma regularmente uma variedade de insetos voadores e rastejantes, e os especialistas defendem que eles são quase tão nutritivos quanto carne bovina, além de conterem muito menos gordura e terem um baixo impacto sobre o meio ambiente.

David, 47 anos, tem sobrevivido somente de insetos desde 2001, quando um amigo lhe deu uma caixa de “Larvers” (larvas de minhoca para comer como lanchinho) de aniversário. Ele não gostou do sabor, mas isso foi o suficiente para levá-lo a pensar sobre as razões pelas quais tantas pessoas ao redor do mundo comem insetos diariamente.

Ele percebeu que as pessoas devem ter uma boa razão para isso, e não poderia ser porque elas estão morrendo de fome ou desesperadas. David começou a ler sobre entomofagia e experimentar novos tipos de insetos, e hoje até dá palestras sobre o assunto.

Seu porão está constantemente lotado com mais de 12 mil insetos de 20 espécies diferentes, e o entomófogo afirma ter comido mais de 5.000 tipos de insetos durante os últimos 11 anos. Ele os consome de diversas maneiras, de fritos na manteiga a assados, e diz que está trabalhando para torná-los mais saborosos e atraentes.

David os captura utilizando uma rede e os mata através de um método de congelamento indolor. Em seguida, coloca os bichos em sacos plásticos fechados ou potes de Tupperware e os armazena no congelador.

“Bichos rastejantes, enquanto estão no mar – caranguejos, camarões e lagostas – são excelentes para comer e as pessoas podem gastar dinheiro com eles. Com os terrestres, de repente é tudo ‘eca’”, diz David, explicando que as pessoas são contraditórias quanto ao consumo de animais artrópodes.

Ele acredita que insetos terrestres são praticamente os mesmos que os marinhos, tanto que quem é alérgico a frutos do mar vai ser alérgico a insetos.

A entomologista Florence Dunkel acredita que a aversão da cultura ocidental a insetos tem muito a ver com a forma como fomos criados. “Na maioria dos americanos, o medo de insetos é uma aversão social. Não é racional”, explica. “As pessoas em outras sociedades foram introduzidas a insetos em uma idade precoce”.[OddityCentral]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *