Dando asas à informação

Ladrão que rouba iPhone envia lista manuscrita de contatos com 11 páginas à vítima

contacts-list

Quando perdemos um telefone celular, substituir o dispositivo não é tão doloroso quanto reconstruir a lista de contatos, não é mesmo? É por isso que o que esse ladrão chinês fez é tão especial – ele copiou mais de 1.000 contatos à mão e os enviou para o proprietário do telefone que ele havia roubado.

O iPhone em questão pertencia a Zou Bin, um barman de Changsha, capital da província de Hunan. Zou disse à mídia local que estava voltando para casa de uma despedida de solteiro do seu melhor amigo no início deste mês, quando o roubo ocorreu. Ele tinha desmaiado no táxi que o levava para casa, juntamente com três outros estranhos. Zou não sabe qual deles pegou seu telefone.

Quando ele descobriu que seu iPhone havia desaparecido na manhã seguinte, naturalmente ficou furioso. O dispositivo continha mais de 1.000 contatos de trabalho que ele não podia se dar ao luxo de perder. Então, Zou fez a primeira coisa que lhe veio à mente – enviou mensagens de texto ameaçadoras para o seu próprio número de telefone.

Zou mandou a seguinte mensagem ao ladrão: “Você pode ter certeza que eu vou te encontrar. Basta dar uma olhada nos meus contatos e você vai ver quem eu sou. Se você for inteligente, vai enviar o celular de volta para o seguinte endereço…”.

O problema é que Zou não estava falando sério; estava blefando. Quatro dias depois, no entanto, ele recebeu um pacote. Infelizmente, não continha o telefone, mas sim a segunda melhor coisa – uma lista de 11 páginas manuscrita dos contatos de Zou, e seu SIM Card. “Todos os números foram escritos à mão”, disse Zou. “Seria preciso um longo tempo simplesmente para escrever os números de 1 a 1.000, muito mais todos os nomes e números de telefone. Deve ter-lhe dado uma mão inchada”.

Zou aconselha as pessoas a não desistirem, se perderem o seu telefone. “Às vezes blefar dá certo”, disse ele. “Mas também é melhor salvar seus contatos de maneira alternativa para poupar o ladrão”, brinca.
Quem quer que seja essa pessoa que fez um ato ruim, agora ganhou uma fama boa na China. A mídia e a internet o estão chamando de “a consciência da indústria do roubo”.

Pode ser que o ladrão realmente estivesse tentando ajudar Zou, ou pode ser que tenha se sentido ameaçado pelas mensagens de texto. Seja qual for a razão, é de fato notável o que ele fez. [OddityCentral]

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *