Dando asas à informação

“Máquina de orar”: insira uma moeda e receba sua benção

No mundo de hoje, no qual as pessoas não têm tempo para nada, rezar tem ficado em segundo plano. Ainda assim, religião é uma parte importante da vida de muitos cidadãos do globo.

Então foi uma questão de seleção natural: se adaptar ou desaparecer. A religião escolheu se adaptar, e entrou dentro de uma máquina para se tornar portátil, acessível e rápida a quem desejar.

Criada pelo artista alemão Oliver Sturm, a “Gebetomat”, como é conhecida na Alemanha, ou “Pray-O-Mat”, como é conhecida na Inglaterra, lembra uma máquina de venda automática, mas é na verdade uma transformação de uma antiga cabine de tirar fotografia (que não é tão comum no Brasil quanto no exterior, mas que você já deve ter visto).

Por fora, já dá para perceber do que ela se trata, já que tem o nome de várias crenças estampadas: budismo, judaísmo, cristianismo, islamismo, hinduísmo.

Sim, porque o “Pray-O-Mat” possui 300 orações e mantras pré-gravados em 65 línguas diferentes. É só entrar na cabine, inserir uma moeda de 50 centavos de euro (cerca de R$ 1,20) e escolher, via touchscreen, o que você quer ouvir. Não importa no que você acredita, muito provavelmente o “Pray-O-Mat” tem algo para você.

Entre as opções, você pode escutar cinco minutos de “Pai Nosso” em várias línguas diferentes, ouvir músicas devocionais aborígines e até canções (dança) da chuva, vindas de todo o mundo.

A maioria das orações foi coletada pelo próprio Sturm, e outras foram encontradas em arquivos de rádio. Na Europa, as máquinas estão se espalhando e viraram até objeto de estudo na Universidade de Manchester (Reino Unido). Aqui no Brasil, nunca ouvir falar de uma. Ainda assim, tenho certeza de que existe algo parecido em algum canto desse país.[OddityCentral]

3 comentários

  1. Vou desenvolver uma assim, irei em busca de apoio. Para que possamos desfrutar dessa excelente idéia.

  2. Se eu ver uma coisa dessa, en entro e “obro” dentro…

    • estou contigo.Tem obrar dentro duma latrina dessas.Coisas de debiloite…

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *