Dando asas à informação

Taxas de embarque nacionais e internacionais ficam mais caras

taxa de embarque

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) decidiu reajustar as tarifas cobradas pelos aeroportos públicos administrados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e demais que não são explorados por meio de contratos de concessão.

Segundo a portaria nº 63/2015 publicada dia 14, as novas taxas entram em vigor em trinta dias e podem ser de, no máximo, R$ 24,64 para embarques domésticos e R$ 85,99 para embarques internacionais.

As taxas de embarque nacionais dos aeroportos de primeira categoria, que custavam R$ 21,57, subirão para R$ 24,64 em Belém, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Maceió, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro Santos Dumont, Salvador, São Luís e São Paulo Congonhas. Nesses aeroportos, as internacionais também terão preço máximo, R$ 85,99.

Para os aeroportos de segunda classe, as taxas de embarque passam a ser de R$ 19,35 em voos domésticos e R$ 71,66 em voos internacionais. Esses valores valem para Aracaju, Belo Horizonte Pampulha, Boa Vista, Caldas Novas, Campo Grande, Chapecó, Cuiabá, Foz do Iguaçu, Goiânia, Ilhéus, Imperatriz, João Pessoa, Joinville, Juazeiro do Norte, Juiz de Fora, Londrina, Macapá, Maringá, Navegantes, Palmas, Porto Seguro, Porto Velho, Ribeirão Preto, Teresina, Uberaba, Uberlândia e Vitória.

Há ainda os aeroportos regionais de terceira e quarta classes, que terão valores menores. O aumento não afetará as taxas dos aeroportos concedidos à administração privada, como Guarulhos em São Paulo, Viracopos em Campinas, Galeão no Rio, Brasília e Confins em Belo Horizonte.

O reajuste das tarifas ocorre anualmente conforme previsto na Resolução nº 350/2014 e corresponde à atualização monetária, de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *